Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2018 premeia os melhores projetos

Já são conhecidos os melhores projetos de reabilitação urbana de 2018, anunciados ontem na cerimónia de entrega do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2018, em Braga.Lisboa, Porto, Matosinhos, Marco de Canaveses e Arouca foram os concelhos premiados este ano nas várias categorias a concurso. Os melhores projetos de habitação, serviços e comércio, turismo, restauro e reabilitação estrutural situam-se na cidade de Lisboa, que recebe ainda, ex-aequeo com Matosinhos, o prémio na categoria de impacto social. Foram ainda distinguidos os melhores projetos quer no contexto específico de Lisboa quer no do Porto. Para Marco de Canaveses vai a distinção para a melhor reabilitação com menos de 1.000 m2, enquanto que para Arouca segue o prémio para a melhor solução de eficiência energética.António Gil Machado, diretor da Vida Imobiliária, entidade coorganizadora do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana com a Promevi, nota que «é com muita satisfação que congratulamos os vencedores do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana e agradecemos também a todos os candidatos nesta nova edição. São estes projetos que fazem as nossas cidades mais bonitas, mais vivas e mais produtivas».E completa que «este Prémio volta a ser um verdadeiro reflexo da capacidade de contágio e pulverização que a reabilitação urbana atingiu. Concorreram este ano projetos de mais de 20 concelhos de todo o país, intervenções de pequena dimensão, mas também com grande escala, e todo o tipo de projetos, desde moradias particulares a grandes condomínios, hotéis, escritórios, igrejas, museus ou escolas».Lista dos vencedores da edição de 2018 por categorias:Categoria ResidencialRepública 37 (Lisboa) - Frederico Valsassina ArquitectosCategoria Impacto Social (ex-aequeo)Real Vinícola (Matosinhos) - Arquiteto Guilherme Machado VazEscola Básica Maria Barroso (Lisboa)Categoria Comercial & ServiçosSede Abreu Advogados (Lisboa) - Openbook Architecture Categoria Reabilitação Urbana – TurismoVerride Palácio Santa Catarina (Lisboa) - arquiteta Teresa Nunes da PonteCategoria Cidade de LisboaRepública 37 - Frederico Valsassina ArquitectosCategoria Cidade do PortoAlbergues Nocturnos do Porto - Arquitetos Nuno Valentim, Frederico Eça e Margarida CarvalhoCategoria Intervenção inferior a 1.000 m2Quinta de Catapeixe (freguesia de Bem Viver, Marco de Canaveses)Categoria RestauroQuinta Alegre (Lisboa)Categoria Reabilitação EstruturalRepública 37 (Lisboa) - Frederico Valsassina ArquitectosCategoria Melhor Solução de Eficiência EnergéticaQuintãs – Farm Houses (Arouca) - Arquiteto António Júlio Caseiro A Entrega do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana realizou-se no espaço Colunata Eventos, no parque do Bom Jesus, em Braga, reunindo mais de 300 pessoas.O galardão conta com o Alto Patrocínio do Governo de Portugal, concedido através da Direção Geral do Património Cultural, entidade tutelada pelo Ministério da Cultura. Esta é uma iniciativa à qual a SECIL se associa de forma ampla e que reúne um vasto apoio do setor empresarial, institucional e da sociedade civil. Conta este ano também com o forte apoio da Câmara Municipal de Braga, cidade que foi, pela primeira vez, a anfitriã da entrega do galardão.A Schmitt+Sohn Elevadores, a Savills Aguirre Newman e o Santander Totta, na categoria platina; e a Revigres, Sanitana, SRS Advogados e Victoria Seguros na categoria ouro; são as empresas que apoiam o Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2018. O Idealista é o portal oficial da iniciativa, a TSF a rádio oficial, o Público Imobiliário o jornal oficial, enquanto a Confidencial Imobiliário e a Iberian Property são os media partners. ©Vida Imobilária