Casa em Pousos

A casa localiza-se numa “tipica“ urbanização da periferia, na Freguesia de Pousos, situada num ponto alto a Este lugar da cidade, configura uma espécie de miradouro, com uma vista panorâmica sobre Leiria.De forma a garantir um maior desafogo e acesso à vista longínqua, os donos da casa compraram os 3 lotes na linha da frente, sobre a “falésia“, que foram emparcelados num único terreno. Embora cada lote permitisse a construção de cave mais dois pisos, normalmente compactas e isoladas no meio do terreno, abria-se com este agrupamento a possibilidade de construir uma casa mais baixa, que “abraçasse“ porções mais rasantes, de espaço de jardim.Quando fomos ao local pela primeira vez, já tinham sido executados os arruamentos envolventes ao lote. Devido aos desaterros executados para construir as ruas, o terreno erguia-se subitamente a partir do limite do passeio, como uma sugestiva construção de carácter topográfico. Na envolvente, as moradias dos vizinhos jáestavam todas construídas e “abraçavam“ o terreno em “L“.A concepção da casa surge de uma forma directa da forma como observámos essa realidade. Tratando-se de uma casa privada de grande dimensão para os padrões locais, optámos por dividir o volume de construção em duas partes. Metade da construção é enterrada, como um negativo no terreno, assumida como dele fazendo parte. Sobre essa metade-terreno, é pousado um segundo volume, longo e achatado, de betão branco aparente. No volume inferior estão integradas as áreas técnicas, de apoio ou de utilização mais ocasional. No volume superior, as áreas sociais agrupam-se em torno do pátio principal, e os quartos de um segundo pátio privado. Afinal de contas, a principal particularidade desta casa passa-se ao nível dessa dialética entre a metade subterrâna e “natural“ da casa, a metade superior, flutuante e “artificial“, e a vida que flui entre uma e outra. Entre a face introvertida, intimista, de penumbra ou de luz reflectida, e a sua face aberta, permeável e luminosa, onde se torna possível o olhar para o horizonte longínquo. Para lá disso, tudo se trata, como sempre nestes projectos, de entender a vida e o temperamento de quem nos procurou para desenhar uma casa, e de tentar conferir-lhes um novo significado para o dia-a-dia.