A arquitetura que toma conta do nosso bem-estar

A arquitetura assume-se como um veículo de transformação e evolução e que está intimamente ligada às pessoas  ao seu bem-estar, como nos explica Afonso Almeida Fernandes, Sócio e Arquiteto do Atelier Almeida Fernandes, em entrevista à Revista Business Portugal.

A arquitetura é um meio de transformação e evolução, que contribui para a qualidade de vida das pessoas. Apostar na qualidade, criatividade e inovação são os pilares da Almeida Fernandes?

Acreditamos que a arquitetura está intimamente ligada às pessoas, sendo um veículo de transformação e de evolução. A qualidade é a base transversal, seja na inclusão do cliente no projeto, na escolha de parceiros, no trabalho em equipa ou na escolha e utilização de materiais. Este último ponto é muito importante porque temos também uma consciência sustentável, que queremos aplicar pela importância ambiental e para criar uma harmonia real com o local onde se constrói. A inovação e a criatividade são também transversais, com a equipa dedicada para que cada projeto seja um reflexo destes valores, mas também de quem irá viver cada projeto. A requalificação do Mercado do Peixe nas Caldas da Rainha é um bom exemplo, onde transpusemos todo o contexto para a concretização, mantendo-o como símbolo da cidade, mas também um local de educação, ensinando os utentes sobre o mar e a sua preservação.

 

Todos os vossos projetos exigem um equilíbrio entre contexto, funcionalidade, conforto, as necessidades de cada cliente sempre aliados às novas tendências do mercado. Ter uma equipa jovem é importante na construção de um projeto inovador e criativo?

O essencial é ter uma equipa inconformada, que goste de sair da área de conforto, de aprender novas técnicas, de estudar e conhecer novos materiais e estar sempre a acompanhar as mais recentes tendências e técnicas. Cada projeto é único, não só pelo contexto onde se insere, mas pelas funcionalidades que irá desempenhar. A capacidade de adaptabilidade é essencial e é algo que a nossa equipa entrega todos os dias.

A Almeida Fernandes tem em portfólio muito diferente, que vai desde casas singulares a projetos de maior envergadura. Em que segmento de mercado estão mais focados?

Temos uma experiência multidisciplinar e em apenas 4 anos de atelier, o nosso portefólio demonstra muita versatilidade. Trabalhar com um cliente para a sua casa é algo muito desafiante e enriquecedor, que nos permite criar e desenvolver um ambiente que será vivido de uma forma muito especial. Por outro lado, projetos maiores, como condomínios, hotéis e outros espaços públicos permitem-nos ter um envolvimento maior. Em muitos casos fazemos toda a gestão do projeto que nos permite liderar o processo e desenvolver uma relação de grande proximidade e confiança com o cliente. Temos um papel agregador envolvendo técnicos e artistas, trazendo para a mesa novas ideias, promovendo a discussão através de diferentes olhares sobre o projeto. O resultado final pode custar mais, mas torna-se mais rico. Isto foi verdade com o Mercado do Peixe, projetado em colaboração com o ilustrador Mantraste, a ceramista Maria Ana Vasco Costa e o designer Filipe Guimarães.

 

Orgulham-se de apresentar trabalhos de destaque, como a Vista do Paço, a Casa da Comporta, ou casa de Santo Amaro. O futuro é continuar a inovar com inspiração no contexto histórico, sociológico e material?

O nosso atelier conta com quatro anos de existência e o caminho que temos vindo a fazer é o de elaborar projetos que são inspirados no contexto em que se inserem, espelhando o ambiente natural e cultural. Este posicionamento tem-nos permitido fazer projetos habitacionais à medida e projetos de maior envergadura, como condomínios ou espaços públicos. A Casa da Comporta é um bom exemplo, inspirado na arquitetura tradicional da zona, no Cais Palafítico da Carrasqueira. A casa é implantada sobre areia, elevada sobre o solo através de estacaria de madeira e vivida num diálogo fluido entre construção e vazio, interior e exterior, luz e sombra. Por outro lado, a Vista do Paço é um condomínio composto por dez moradias de luxo com jardim, piscina e vistas mar. Aqui o desafio foi o de colmatar uma malha urbana inacabada, integrando o empreendimento no contexto urbano envolvente, modular um terreno muito acidentado e colocar cuidadosamente cada moradia de forma a garantir vistas para o mar de todos os lugares.

 

Entrevista publicada na Revista Business Portugal ao Afonso Almeida Fernandes, Sócio e Arquiteto do Atelier Almeida Fernandes.

LINKS
PDFS

Galeria
artigos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Registe a sua Empresa

Crie a sua conta gratuitamente e promova os produtos da sua empresa.

Jooble

Mais de 2 mil vagas para arquitetos no Brasil