Análise do Mercado Imobiliário Português pela Imovirtual

Categorias: Habitação

A importância da internet na forma como nos relacionamos com o mercado imobiliário tem evoluído de forma contundente. Se outrora o processo de consulta e compra era moroso, atualmente o acesso ao mercado praticamente não se concebe sem a utilização destas ferramentas.

A relevância do portal Imovirtual em tornar o mercado imobiliário mais acessível a todos é incontornável, com milhares de anúncios de imóveis espalhados por todo o território nacional.

Vamos utilizar a extensa e fidedigna base de dados estatísticos desta plataforma para tirar o pulso ao mercado imobiliário português.

 

Mercado de Venda Segue em Alta

Os mais recentes dados publicados pelo barómetro mensal do portal Imovirtual dão conta de um aumento dos preços médios no mercado de venda, na ordem dos 7,4%. Em termos práticos, tal resulta numa evolução de 342.621€ para 368.011€ a nível nacional.

Destacam-se algumas surpresas no período homólogo ao consultarmos os valores de outubro de 2021. Distritos como Évora registaram uma subida de preços de 28,3% para 246.797€, bastante distante dos 192.373€ do ano passado.

Portalegre emula o sucesso do distrito vizinho ao crescer 18,1% e colocando o valor de 132.335€ longe dos 112.091€ do período homólogo.

Igualmente impressionante é o desempenho registado na Região Autónoma da Madeira, que já figura entre os quatro distritos do país com preços mais elevados há alguns anos. Aqui, o aumento registado é de 17,4% e revela um valor médio de venda atual cifrado nos 378.270€, a distanciar-se dos 322.328€ do período homólogo.

Em todos estes casos registou-se um aumento de preços entre 1,9% e 2,5% entre setembro e outubro deste ano.

 

Portugal a Ritmos Diferentes

Não será surpreendente constatar que nem todos os distritos se pautam por valores e desempenhos estratosféricos.

Em total contraciclo, comprar casa na Guarda é atualmente a opção mais económica a nível nacional. Os valores médios de venda caíram -8,9% no último ano e revelam ainda uma ligeira quebra entre setembro e outubro deste ano na ordem dos -0,6%.

Como resultado, o preço médio das casas neste distrito é atualmente de 111.212€ em contraste com os 122.133€ registados em outubro de 2020.

A Guarda continua a servir como exemplo das adversidades que o interior do país enfrenta. Apenas com políticas modernas que apostem na atração e fixação de empresas e profissionais pode este distrito fazer frente aos desafios atuais.

 

O Extremo Oposto do Mercado Imobiliário

Em contraste, os dados que elaboram esta tabela colocam Lisboa como o distrito mais dispendioso para comprar casa em Portugal.

O valor médio de venda é atualmente de 583.636€ e se esse registo não fosse por si já bastante impressionante, o mesmo resulta de um aumento de 8,1% em relação ao período homólogo.

Existe uma variação negativa observada entre setembro e outubro deste ano na ordem dos -1,4%. Será expetável que a mesma seja dissipada caso o desempenho global do mercado continue nesta trajetória.

 

 

A aquisição de nova habitação em Portugal atualmente não é uma tarefa fácil. Em alguns distritos, a pressão dos preços praticados exclui uma larga parcela da população no acesso ao mercado imobiliário.

Em distritos como Lisboa, Faro, Porto e Região Autónoma da Madeira, essa realidade advém do elevado fluxo turístico registado em anos recentes e no crescimento exponencial do mercado de luxo.

À medida que Portugal se reordena na forma como a sua população está dispersa pelo território, alguns distritos ainda enfrentam as dificuldades de sempre. Com poucas soluções à vista, o resultado é a desertificação das suas vilas e aldeias.

Galeria
artigos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?