Ana Carolina Helena

Casa Saloia, A (New) Starter Home?

Categorias: Arquitetura

Casa Saloia, A (New) Starter Home? |  Ana Carolina Helena  . Arquitecta

Em Portugal, há um número record de jovens adultos a viver em casa dos pais: cerca de 64%. A independência financeira surge cada vez mais tarde, e consequentemente, a capacidade de alugar ou comprar casa própria. Nem os já empregados têm um panorama mais risonho, dada a instabilidade laboral e os baixos salários, que combinados com a dificuldade de conseguir crédito e o turismo massificado tem sido a receita para o desastre, especialmente nas grandes áreas metropolitanas.

Noutros tempos, noutras geografias, colocaram-se desafios similares. Veja-se o caso americano, pós Segunda Guerra Mundial, onde inúmeros jovens veteranos regressados à pátria não podiam pagar os valores das casas praticados nas suas cidades. A solução encontrada: construir nos subúrbios, pequenas casas, todas a partir de um modelo comum, reduzindo, assim, o custo final das mesmas. Foram informalmente batizadas de “starter home” – em português, qualquer coisa como “primeira casa”.

Hoje, a resposta não pode ser esta. Os concelhos suburbanos – em que Mafra se inclui – estão já francamente construídos, pejados de T3 e T4, distantes das necessidades das jovens famílias cada vez mais pequenas. Poderá estar a solução nas nossas tipologias tradicionais? A casa saloia típica, de um só piso, com duas, três divisões, tem uma área compatível com o actualmente expectável, por exemplo, por um jovem casal.

A sua construção em alvenaria é uma base sólida, a que impera, no entanto, instalar as comodidades contemporâneas; opção mesmo assim quase sempre mais económica que construir de raiz. Com o apoio do poder local, reabilitá-las permitir-nos-ia não só criar oferta para esta faixa da população, dar um novo propósito a estruturas já existentes – poupando o ambiente a mais construção -, e ainda preservar o nosso rico património local, que é sempre um factor qualificante do restante mercado habitacional envolvente. Um verdadeiro três em um!

 

Artigo de Opinião © Ana Carolina Helena .  Arquitecta . Venda do Pinheiro

(Texto escrito de acordo com a antiga ortografia, originalmente publicado na coluna “Arquitectura, Paisagem e Mafra” do jornal local “O Carrilhão” )

Imagem – (Processo OP José Luis – Encarnação. Construir casa térrea para habitação. Licença de construção nº 367/1940. © Arquivo Municipal de Mafra (PT/AMM/CMMFR/17/01/(1940)0033), um exemplo da tipologia mencionada)

Galeria
artigos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?  

Registe a sua Empresa

Crie a sua conta gratuitamente e promova os produtos da sua empresa.