Casa das mulheres para promover a igualdade de género na África

Início em 16/01/2021 até 30/04/2021

Categorias: 04 abril2021

Competição de Arquitetura: Casa das mulheres para promover a igualdade de género na África

O desenvolvimento rural, a eliminação das barreiras, a redução das desigualdades, a criação de um ambiente durável e sustentável dependem do compromisso que cada componente da sociedade assume direitamente ou não direitamente em relação à coletividade. Essa igualdade de gêneros torna-se fundamental para a construção de uma sociedade imparcial onde cada um, na base do back-ground pessoal e das próprias possibilidades, pode contribuir de maneira determinante ao desenvolvimento sustentável. O concurso neste sentido propõe um desafio: a projetação de uma “Casa das mulheres” cuja concepção tenha o fim da promoção da igualdade dos gêneros como característica essencial no desenvolvimento rural. A arquitetura terá que constar um espaço para a atuação das atividades de sensibilização, formação e desenvolvimento; tudo sempre em nome da igualdade.

TEMA DO CONCURSO

O objetivo do concurso consiste na realização de uma “Casa das mulheres” através de uma arquitetura simbólica, ecológica e inspira- da das tradições locais. Um espaço onde as associações e os diferen- tes elementos da sociedade poderão encontrar-se e dialogar sobre os demais assuntos em termo de igualdade e direitos humano, outor- gando assim o envolvimento e a emancipação da comunidade das mulheres, a favor do desenvolvimento social, econômico e politico do território.

A paridade de fato não é representada somente para um direito hu- mano fundamental, mas sim para uma condição necessária para um mundo próspero. Outorgar a todos o acesso, sem distinção, a edu- cação, tratamentos médicos e ao trabalho assim como a possibilidade de presenciar aos procedimentos de decisão, promover a economia sustentável, do qual poderão beneficiar-se a sociedade e o gênero humano inteiro.

Hoje, na África subsaariana, Oceania e na Ásia ocidental, as moças têm que enfrentar vários obstáculos para outorgar o acesso aos ensinos primários e médios, isso devido a causas politicas e culturais.
Na África do norte, as mulheres possuem apenas um quinto dos lu- gares de trabalho retribuídos fora do âmbito rural, e somente em 46

países elas representam mais do 30% dos assentos nos parlamentos nacionais.
A Organização das Nações Unidas tem declarado como 5°assunto dos “Objetivos do Desenvolvimento Sustentável” (veja “Sustainable Developments Goals”) justamente a paridade dos gêneros, sendo uma característica determinante para o futuro das novas gerações, a fim de cancelar qualquer forma de discriminação e violência, garan- tindo a preservação dos direitos de todos os gêneros e também com o intento de estabelecer um serviço de proteção social para outorgar a participação feminina nos demais níveis e ocasiões de tomada de decisões.

A promoção deste assunto, bem como a preservação dos direitos das mulheres, representam o foco central do concurso, constando na re- alização da “Casa das Mulheres”, cuja arquitetura deverá integrar-se ao contexto ambiental e cultural de destino, promovendo os valores da igualdade e interpretando-os em chave arquitetonica ecológica e sustentável, sendo realizável em auto-construção junto com a comu- nidade local.

 

O PROJETO

A finalidade da arquitetura da “Casa das mulheres” consiste na realização de um espaço onde atuar encontros, seminários e abordar qualquer outro tipo de atividade útil a fim de reduzir todas as formas de descriminação, reforçando e promovendo a igualdade dos géneros, criando ,nesse sentido, consciência, conhecimento e envolvimento de todas as partes sociais.

O projeto deve ser ser realizado em auto-construção em colaboração com as comunidades beneficiárias e por isso tem que respeitar as seguintes exigências durante o processo de construção:
– a realização tem que prever um processo simples e atuável através tecnologias sustentáveis que podem adaptar-se ao método da auto-construção, sem requerer a utilização de veículos pesados ou equipamento complexo.

– A utilização de materiais naturais e/ou reciclados, atingíveis no território, no intento de limitar o impacto económico e ambiental devido ao transporte, gerando ao mesmo tempo uma rentabilidade no contexto local.

– Integrar-se no contexto sociocultural do território graças a reinter- pretação e ao mesmo tempo respeito das tradições locais.

Os espaços da estrutura acolherão as seguintes atividades através do planejamento que os colocarás de forma independente ou relacionados entre os, em função da ideia do projetista.
1. Gestão e organização. A estrutura terá que constar de um

espaço designado para a administração, finalizado a correta gestão e organização das atividades.
2. Diálogo. Um entre os objetivos do projeto consiste no apoiar o diálogo entre as autoridades e as associações presentes no território. Portanto, a estrutura terá que incluir um espaço destinado as reuniões com uma capacidade máxima de 10-15 indivíduos.

3. Atividades coletivas. O objetivo fundamental do projeto é a promoção da igualdade dos géneros e direitos humanos, através da organização de seminários, workshops e exposições assim como atividades finalizadas a sensibilizar as comunidades. Para as ditas atividades corresponderá então um espaço cujo requisito seja a possibilidade de adaptar-se as necessidades de cada atividade, também no caso em que ocorram simultaneamente.

A arquitetura terá que respeitar essas características:
– Superfície máxima coberta de 200 metros quadrados, onde atuarão as ditas atividades.
– Solo andar térreo;
– Os espaços arquitectônicos hão de ser flexíveis e adaptáveis;
– O custo individual de materiais de construção não pode superar os 18.000 €;
– De preferência os materiais usados hão de ser naturais, reciclados ou de rejeito assim como facilmente atingíveis nos entornos;
– Promover tecnologias sustentáveis e ecológicas ao longo do processo de construção;
– Realizável de maneira simples através da auto-construção;
– Preferir a escolha de soluções que favorecem a reciclagem de recursos naturais;

Na seção download do site é possível baixar o aviso da competição, traduzido em diferentes linguas assim como os documentos detalhados sobre a Igualdade dos Géneros (Gender Equality).
Os participantes receberão (após a inscrição)o material suplementar necessário para o desenvolvimento do projeito,: Fichas técnicas, preços, imagens e características dos principais materiais, Cartografias do povoado de Baghere e do vale, enquadramento do Vale de Tanaff, Imagens do povoado de Baghere, Tanaff e do vale; Cad e Fotografias do sítio de construção, Layouts dos documentos produzidos.

A CONSTRUÇÃO

O projeto arquitetônico que ganhará no concurso será realizado no território do povoado de Baghere, no Senegal. A escolha dos materiais e das tecnologias usadas terão que respeitar os princípios da sustentabilidade e do processo de auto-con- strução, considerada a esfera de intervenção humanitária do projeto e a mão-de- obra essencialmente constituída das associações e comunidades beneficiárias. Sua abordagem, neste sentido, tem uma função determinante no intento de lidar autonomamente com o projeto e associar elementos como as atividades educativas à uma tecnologia sustentável e ecológica que seja capaz de preservar o meio ambiente, adaptar-se as mudanças do clima e ameliorar a qualidade de vida.

Planejar incluindo o uso de materiais locais, acessíveis para todos, é importante tan- to de um ponto de vista econômico quanto logístico a fim de poder fazer com que a tecnologia seja adquirida e reproduzida para a comunidade, favorecendo o desen- volvimento dos lugarejos.

PRÉMIOS

Prémio em denário + Estágio na Kengo Kuma + Construção + Modelo Nacional

1° Prémio

€ 5.000
Construção
Estágio em Kengo Kuma
Adoção ministerial como modelo nacional
Compartilhando com a ONU Mulheres e União da África
Exposições e eventos
Publicação no volume
Certificado

 

2º Prémio

€ 1.000
Estágio em Miralles Tagliabue EMBT
Compartilhando com parceiros
Exposições e eventos
Publicação no volume
Certificado

 

3º Prémio

500 €
Estágio em SBGA
Compartilhando com parceiros
Exposições e eventos
Publicação no volume
Certificado

 

2 Menções Honrosas

Escolhido por Kengo Kuma e Balouo Salo
100 €
Compartilhando com parceiros
Exposições e eventos
Publicação no volume
Certificado

 

5 menções especiais

Compartilhando com parceiros
Exposições e eventos
Publicação no volume
Certificado

 

20 finalistas
20 melhores 50

Exposições e eventos
Publicação no volume
Certificado

Todos os projetos vencedores receberão um certificado digital e serão publicados no livro oficial do concurso “Kaira Looro 2021 – Casa da Mulher”, apresentado e discutido em instituições e autoridades nacionais e internacionais (Ministérios, ONU, União Africana); transmitido para revistas e portais de arquitetura; exposto em eventos, feiras e seminários. Os métodos de desembolso dos prêmios são definidos nas condições.

 

INSCRIÇÃO

É possível participar ao concurso de forma individual ou em grupos de máximo 5 indivíduos. Abaixo em detalhes, o custo dos lotes de inscrição do Team em relação ao período:

Inscrição antecipada – 60€/team

Inscrição regular – 90€/team

Inscrição fora do prazo – 120€/team

Segue o procedimento para a inscrição:
1. Acessar a área “inscrição” no site do concurso
2. Preencher os dados e efetuar a inscrição do Team depositando a contribuição através cartão de crédito, débito ou paypal;
3. Uma vez finalizada a inscrição o líder do team receberá um e-mail com o código (ID Team) da participação ao concurso, juntamente aos downloads e um link onde carregar o projeto final, dentro do prazo previsto.

Atenção: A partir do momento da inscrição, controlar a seção do lixo virtual no caso não receba a confirmação, dentro de 2 dias úteis, e verificar que o endereço info@kairalooro.com não seja colocado na dita seção.

Aconselha-se efetuar a inscrição assim como o envio dos projeitos bem antecipadamente respeito aos prazos definidos.

[ ACEDA AQUI AO FORMULÁRIO DE REGISTO ]

CALENDÁRIO E PRAZOS

Registo “antecipado” (early)

Abertura de inscrições antecipadas | 16/01/2021
Encerramento de inscrições antecipadas | 28/02/2021 (h 23.59 GMT)

Registo “normal” (normal)

Abertura de inscrições normais | 01/03/2021
Encerramento de inscrições normal | 28/03/2021 (h 23:59 GMT)

Registo “tardias” (late)
Abertura de inscrições “tardias” | 29/03/2021
Encerramento de inscrições tardias | 30/04/2021 (h 23.59 GMT)

Prazo de resposta das perguntas frequentes | 8/05/2021
Prazo de entrega | 30/05/2021 (h 23.59 pm GMT)
Avaliação do júri | 13-20/06/2021
Publicação de resultados | 27/06/2020

Nota:
A distinção entre registo “normal”, “normal” ou “tardio” não implica qualquer influência na data de entrega dos documentos, que é unicamente definida pela data de entrega dos documentos.
As taxas de inscrição constituem uma doação para a construção do projeto vencedor.

[CONSULTE AQUI O REGULAMENTO COMPLETO]

LINKS
ESPECIFICAÇÕES
  • Competição de Arquitetura: : Casa das mulheres 
  • Tema: Promover a igualdade de género na África
PDFS
Galeria
concursos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

3DHR Multimédia

Desenvolvemos projetos em 3D para arquitetura e design interiores

Archicad 24

Clique aqui para saber mais.