Prémio Archiprix Portugal 2019

Início em 08/01/2019 até 30/01/2019

Categorias: nacionais

1. ÂMBITO

O Prémio Archiprix Portugal foi instituído em 2012 pela Fundação Archiprix (Roterdão) e pela Fundação Serra Henriques envolvendo de forma plural e independente a Ordem dos Arquitectos, a Trienal de Arquitectura de Lisboa, a Casa da Arquitectura, o o Docomomo Internacional, as Associações de Urbanistas e Arquitectos Paisagistas Portugueses e o Corpo Docente das Instituições de Ensino de Arquitetura, Urbanismo e Arquitetura Paisagista portuguesas.

Archiprix Portugal enquadra-se na Rede Internacional Archiprix, constituída pelas iniciativas congéneres Archiprix Holanda, Espanha, Chile, Europa Central (Bósnia Herzegovina, Áustria, Hungria e Croácia), Turquia, Itália e Rússia. Faz também parte da rede Archiprix o prémio de abrangência global – Archiprix Internacional.

2. PRÉMIO


a. Todos os alunos formados durante o ano civil de 2018 nas instituições de ensino superior da Arquitetura, Urbanismo e Arquitetura Paisagista, são convidados a participar no concurso Archiprix Portugal;

b. De entre todos os trabalhos a concurso, o Prémio Archiprix Portugal distingue o coletivo de Finalistas que melhor espelhe a excelência de cada uma das Instituições de Ensino a concurso;

c. Do coletivo de Finalistas é distinguido um trabalho vencedor, duas menções especiais e até 8 menções honrosas. O trabalho vencedor e as duas menções especiais são destinadas a cada uma das três áreas a concurso – Arquitetura, Arquitetura Paisagista e Urbanismo;

d. O vencedor recebe a quantia de três mil euros. As duas menções especiais recebem, cada uma, a quantia de quinhentos euros;
O vencedor, as menções especiais, as menções honrosas, os finalistas e os respectivos Orientadores recebem um diploma Archiprix Portugal 2019;

f. O vencedor, as menções especiais, as menções honrosas, os finalistas, os respectivos Orientadores e as respetivas Instituições de Ensino, têm assegurada a presença no Anuário Archiprix Portugal 2019.

3. ELEGIBILIDADE

a. O Aluno deve ter concluído o curso no ano civil de 2018, como constará no seu diploma;

b. São elegíveis os trabalhos de fim de curso apresentados nas instituições de ensino superior nacionais de Arquitetura, Arquitetura Paisagista e Urbanismo;

c. São elegíveis trabalhos que tenham sido realizados nas Instituições de Ensino designadas abaixo. O número máximo de trabalhos aceites a concurso por
cada uma das instituições é determinado a partir do número de vagas abertas para mestrado integrado e para 2o ciclo de mestrado, segundo informação diponibilizada pela entidade competente. A informação recolhida foi harmonizada e simplificada pelo Archiprix Portugal, e está disponível na seguinte grelha:

4010-9257 Escola Superior Artística do Porto; (5 trabalhos)
4025-9507 Escola Superior Gallaecia; (5 trabalhos)
1201-6998 Universidade de Trás-dos-Montes e Alto Douro; (7 trabalhos)
1000-9257 Universidade do Minho; (7 trabalhos)
1102-9257 Universidade do Porto – FAUP; (9 trabalhos)
1103-6998 Universidade do Porto – FCUP; (5 trabalhos)
0400-9257 Universidade da Beira Interior; (7 trabalhos)
0501-9257 Universidade de Coimbra; (7 trabalhos)
1501-9257 Universidade de Lisboa – FAUL; (11 trabalhos)
1501-G004 Universidade de Lisboa – Urbanismo; (5 trabalhos)
1501-G008 Universidade de Lisboa – Reabilitação; (7 trabalhos)
1518-9257 Universidade de Lisboa – Instituto Superior Técnico; (5 trabalhos)
1515-6998 Universidade de Lisboa – Inst. Sup. de Agronomia; (3 trabalhos)
2100-9257 Universidade Autónoma de Lisboa; (7 trabalhos)
0602-6998 Universidade de Évora – FCT; (3 trabalhos)
0603-9257 Universidade de Évora – Escola de Artes; (5 trabalhos)
0203-6998 Universidade do Algarve; (3 trabalhos)
2750-9507 Universidade Fernando Pessoa; (3 trabalhos)
4032-9257 Universidade Lusófona do Porto; (3 trabalhos)
2403-9257 Universidade Lusíada do Porto; (5 trabalhos)
2404-9257 Universidade Lusíada de V.N. Famalicão; (5 trabalhos)
2400-9257 Universidade Lusíada de Lisboa; (5 trabalhos)
2800-9257 Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias; Arquitectura (3 trabalhos) 2800-9336 Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias; Urbanismo (3 trabalhos) 4375-9257 Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes; (3 trabalhos)
6800-9257 ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa – IUL; (5 trabalhos)
0902/M518-0903 Universidade Nova de Lisboa – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas em associação com a Faculdade de Ciências e Tecnologia – (3 trabalhos)

d. São elegíveis os trabalhos de fim de curso na variante de projeto. Nos casos de Instituições de Ensino em que o programa curricular de 2018 não tenha incluído a variante de projeto, aceitam-se a concurso trabalhos apresentados na disciplina de projeto do 4o ano (2017);

e. São elegíveis trabalhos de fim de curso na variante de dissertação teórica sendo que estes devem conter uma clara componente gráfica e projetual;

f. Os trabalhos devem ter um programa explicitamente formulado no âmbito académico nacional pelo que excluem-se trabalhos desenvolvidos em regime de estágio ou durante intercâmbios no estrangeiro;

g. O Archiprix é um concurso de temática livre.
4. CANDIDATURA

a. O processo de candidatura é conduzido pelo aluno em www.archiprix.pt/ candidaturas;

b. Os projetos dão entrada no concurso por ordem de chegada;

c. Os proponentes da candidatura são o Aluno e o Orientador de trabalho de fim de
curso, com a validação da Direção da Instituição de Ensino;
d. Qualquer Aluno ou Orientador é proponente de apenas uma candidatura;

e. São admitidos trabalhos em co-autoria por não mais de dois Alunos. Nestas situações o prémio é dividido em partes iguais por cada um dos participantes;

f. São admitidos trabalhos em co-tutoria, por não mais de dois Orientadores;

g. Na primeira fase de candidatura os elementos a concurso são enviados em formato digital, um total de seis painéis A2 e uma memória descritiva. Em www. archiprix.pt/candidaturas estão disponíveis mais especificações sobre os elementos a concurso;

h. Na fase de finalistas é requerida uma cópia da certidão de grau de mestre, incluindo o diploma. Nesta fase os elementos a concurso são apresentados em local a definir pela entidade organizadora, em suporte físico rígido. A apresentação de maquetes é opcional. Nesta fase a memória descritiva deve ser apresentada em inglês.

5. JÚRI ARCHIPRIX

a. O Júri Archiprix é constituído por sete elementos:
– um elemento nomeado pelo vencedor da edição 2018
– dois elementos do conjunto de Orientadores das menções de 2018
– um arquiteto / urbanista / arquiteto paisagista, designado pela Ordem dos Arquitectos
– três elementos designados pelo Conselho Consultivo Archiprix Portugal que cumprem os seguintes requisitos: incluir i) um urbanista e um arquiteto paisagista, ii) um elemento feminino, iii) um elemento com menos de 40 anos.

b. Não podem ser membros do Júri Archiprix os Orientadores de trabalhos a concurso.

c. O Júri Archiprix funciona com todas as suas competências mesmo que algum dos elementos do júri não entregue a grelha de seriação ou não compareça
à sessão de avaliação final.

6. AVALIAÇÃO

a. A avaliação dos trabalhos decorre em duas fases;

b. A primeira fase de avaliação é feita a partir de um compêndio que reúne todos os trabalhos a concurso, enviado separadamente para cada um dos elementos do Júri Archiprix, de forma que estes, isoladamente e em desconhecimento dos seus pares, possam fazer uma seriação individual dos trabalhos. Desta primeira avaliação resultam sete seriações individuais – uma por cada elemento do júri;

c. A entidade organizadora processa as sete seriações individuais numa única seriação final. Desta seriação é destacado um coletivo de finalistas formado pelos trabalhos com a melhor pontuação dentro de cada uma das Instituições de Ensino e também os dez trabalhos melhor pontuados de toda a seriação;

d. O coletivo de finalistas é convidado a expôr os trabalhos para a sessão de avaliação final onde o Júri Archiprix reúne para determinar o vencedor e menções honrosas;

e. Na sessão de avaliação final o Júri Archiprix reserva-se o direito de, em unanimidade, repescar trabalhos que não tenham sido incluídos no grupo de finalistas;

f. A sessão de avaliação final tem lugar mesmo sem a presença de todos os trabalhos finalistas;

g. A avaliação processa-se em anonimato.

7. CALENDARIZAÇÃO

a. Envio de candidaturas até 30 de Janeiro de 2019; 

b. Anúncio do coletivo de finalistas em Abril de 2019; 

c. Cerimónia de entrega de prémios em Maio de 2019.

8. RESPONSABILIDADES

a. Compete à Entidade Organizadora a escolha dos locais, critérios e operações de organização e divulgação do concurso;

b. A Entidade Organizadora disponibiliza às Instituições de ensino todo o material necessário à divulgação do concurso;

c. A Entidade Organizadora não aceita qualquer responsabilidade adicional para além daquelas que são explicitamente assumidas neste regulamento, directa ou indirectamente decorrentes deste concurso;

d. Pelo acto de se apresentar a concurso, o Aluno aceita integralmente o conteúdo do presente regulamento, aceitando ainda a divulgação do seu trabalho, parcial ou integralmente, sem que lhe seja devida alguma compensação;
e. O Aluno, como autor do trabalho, mantém a propriedade intelectual do seu projecto, assim como a responsabilidade sobre os respectivos conteúdos;

f. Os casos omissos neste regulamento são resolvidos pela entidade organizadora, com o apoio do Júri Archiprix e Conselho Consultivo Archiprix Portugal 2019;

g. Todos os contactos devem ser feitos para info@archiprixportugal.pt

CONTACTOS

ARCHIPRIX PORTUGAL
ARCHIPRIX INTERNACIONAL

office@archiprix.org

FUNDAÇÃO SERRA HENRIQUES

geral@fundacaoserrahenriques.org

Galeria
LINKS
ESPECIFICAÇÕES
  • Tema: Prémio Archiprix Portugal 2019
concursos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Tectum PRO

Sistemas Construtivos Cobert

MOON

A única placa de comando em cerâmica.