FAUP Comunicação

DigitalArqII Cultura Computacional na Arquitetura | O Contraponto Português

Início em 16/12/2019 até 16/12/2019

Categorias: debates

A utilização de processos computacionais em arquitetura e design é hoje uma prática generalizada, baseada em teorias das ciências da computação iniciadas na década de 1950 em centros de investigação nos Estados Unidos da América e Reino Unido. Apesar do computador nesse período ser uma máquina apenas acessível a alguns matemáticos e programadores, ele não deixou de ser objecto de teorização e influência mais vasta. O cálculo e lógica matemática inerentes ao computador suportariam a emergência de áreas como a teoria da informação a investigação operacional que influenciariam também as ciências sociais e as artes.

Este encontro contribuirá para o mapeamento de contextos culturais e tecno-científicos que influenciaram o desenvolvimento de uma prática computacional na arquitetura, incidindo no contraponto português, cuja história ainda está por construir e divulgar.
Pretenderemos assim reflectir sobre questões como:

– Qual o protagonismo alcançado pelos centros de investigação portugueses que participaram da emergência de uma perspectiva computacional na arquitetura, no período de 1955 a 1985?;

– Ao longo deste período, como é que as ciências da computação foram sendo integradas nas instituições portuguesas, caracterizando a cultura técnico-científica, socioeconómica e arquitetónica?;

– Quais as instituições, práticas de projeto e mentores que protagonizaram os momentos de maior radicalidade e inovação relacionados com procedimentos lógico-matemáticos utilizados no processo de projeto neste período em Portugal?

Programa

14h30 Abertura
15h00 Luís Romão
15h30 João Rocha
16h00 Eduardo Beira
16h30 Intervalo
17h00 Alexandre Alves Costa
17h30 Hélder Coelho
18h30 Conversa

 

Entrada livre (sujeita à lotação do espaço).
Programa sujeito a alterações (sem aviso prévio).

Este evento é passível de ser registado e divulgado pela FAUP através de fotografia e vídeo.

 

DIA
16 de dezembro de 2019

HORAS
14h30

LOCAL
Casa Cor-de-Rosa

 

Biografias

Alexandre Alves Costa é arquiteto pela ESBAP em 1966, e Professor Catedrático Emérito da Universidade do Porto. Tem bibliografia publicada, sobretudo em revistas da especialidade portuguesas e estrangeiras, parcialmente recolhida em quatro volumes: Introdução ao Estudo da História da Arquitectura Portuguesa e Outros Textos, FAUP publicações, 2ª edição, Porto, 2007; Candidatura ao Prémio Jean Tschumi, Ordem dos Arquitetos, Lisboa, 2005; Textos Datados, e/d/arq, Coimbra, 2007; Centralidade do Real, e/d/arq, Coimbra, 2018.
É membro do Conselho Editorial da Revista “Monumentos” da Direção Geral do Património Cultural.
Desde 1970, exerce a profissão liberal, em co-autoria com Sergio Fernandez, com obra construída, quase totalmente publicada.
Recebeu a Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada por Sua Excelência o Presidente da República Dr. Jorge Sampaio. É Sócio Honorário da Ordem dos Arquitetos e da Academia de Escolas de Arquitetura e Urbanismo de Língua Portuguesa.

Eduardo Beira é Professor Auxiliar na Universidade do Minho. Publicou 9 artigos em revistas especializadas e 37 trabalhos em actas de eventos, possui 1 livro publicado. Possui 18 itens de produção técnica. Participou em 5 eventos no estrangeiro e 19 em Portugal. Nas suas actividades profissionais interagiu com 20 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos.

Hélder Coelho nasceu a 22 de junho de 1944 em Lisboa. Licenciou-se em Engenharia Eletrotécnica pelo Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa em 1968. É Especialista em Informática pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) em 1980, PhD em Inteligência Artificial pela Universidade de Edimburgo em 1980, Doutor em Engenharia Informática (Inteligência Artificial) pela Universidade Nova de Lisboa em 1981 e Agregado em Matemática pela Universidade Técnica de Lisboa em 1988.
Começou a sua carreira de investigação no Laboratório de Física e Energia Nuclear (hoje INETI) em 1968, transferindo-se em 1973 para o LNEC, onde esteve 16 anos. Ajudou a criar o Centro de Informática do LNEC em 1974 e co-fundou o primeiro Grupo da Inteligência Artificial Portuguesa (GIA) em 1973.
É Professor Catedrático Jubilado do Departamento de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. A sua investigação foca-se na computação e na Inteligência Artificial.

João Rocha é licenciado pela Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Arquitectura. Master of Science (M.Sc, 1998), em Advanced Architectural Design da Columbia University de Nova York, e em 2004 obteve um Ph.D. em Design and Computation at the MIT Department of Architecture, sob a supervisão de William Mitchell. Foi professor na Pontifical Universidad Católica de Chile (PUC, 1996); Universidade Técnica Frederico Santa Maria, Valparaíso, Chile (1997); assistente no MIT (1998-2002), professor convidado do Department of Progettazioni e pianificazione in ambienti complessi, University Iuav of Venice (2017).
Desde o ano lectivo de 2006, iniciou a sua colaboração no Departamento de Arquitectura da Universidade de Évora, onde é responsável pelos cursos de Design de Arquitectura e Design Digital. Atualmente, é coordenador do Laboratório de Teses e Diretor de Departamentos.

Luís Romão é arquiteto, licenciado pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa em 1985, PhD em “Design and Computation” pelo Massachessetts Institute of Technology.
Professor Associado na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa desde 2001, onde lecciona Computação e Geometria Descritiva.
Investigador no Centro de Investigação em Arquitetura, Urbanismo e Design (CIAUD) da Universidade de lisboa desde 2017.

LINKS
ESPECIFICAÇÕES
  • Tema: DigitalArqII Cultura Computacional na Arquitetura
Galeria
eventos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Formação

Renderização e Pós-Produção Nível I

Workshop

Como Vender o Que Não Se Vê