FAUP Comunicação

ESCOLAS: Complexidade e Interpretação

Início em 06/03/2020 até 03/04/2020

Categorias: Exposições

A Exposição ESCOLAS: Complexidade e Interpretação será inaugurada na FAUP (Sala Plana e Auditório Fernando Távora), no dia 6 de março de 2020 pelas 18h30, numa sessão pública, à qual se seguirá uma visita ao ambiente expositivo, estando patente ao público até ao dia 3 de abril de 2020.

Esta exposição constitui um dos eventos inserido no projeto de investigação homónimo. Sediado no CEAU da FAUP, e enquadrado no grupo de investigação Atlas da Casa, o projeto tem como pano de fundo a transformação arquitetónica dos edifícios escolares, intervencionados ao abrigo do Programa da Parque Escolar, constituído por um universo de 74 escolas localizadas “a norte” do país.

Este projeto tem como objetivo revisitar e debater a importância da intervenção arquitetónica nas escolas secundárias, promovendo um diálogo que, assente nas práticas e no campo disciplinar da arquitetura, potencie o conhecimento, envolvendo as dimensões políticas, pedagógicas, culturais, económicas e sociais. Assim, experimentando o interpretável, e pelos processos de consciencialização, perspetiva-se potenciar as qualidades metodológicas desta estratégia de intervenção para outros âmbitos programáticos.

Sob a coordenação de André Santos (CEAU-FAUP), o projeto integra na equipa de investigação 17 alunos de diferentes anos curriculares do curso de MIArq que, na sequência da sua participação, desenvolvem comummente a dissertação de mestrado enquadrada e orientada individualmente por cada um dos temas de arquitetura que o projeto persegue no seu percurso temporal.

O evento da Exposição assinala um significativo momento do desenvolvimento deste projeto, promovendo a comunicação de saber e a correspondente difusão alargada junto do público, incorporando o objetivo de ultrapassar a especificidade do campo disciplinar da arquitetura e de salientar a sua importância social e cultural, condição aqui majorada pela relação com a função escolar. Reconhecendo-se a circunstância dos edifícios escolares serem dos mais universalmente utilizados e atendendo a que essa utilização ocorre num processo longo e sequencial da formação de cada indivíduo, reitera-se e reforça-se o sentido público da instituição escolar e a responsabilidade social da arquitetura na materialização dos seus edifícios.

Neste sentido, o evento assume a responsabilidade de comunicação com um público vasto, procurando sensibilizar a sociedade para a importância da escola enquanto instituição e para a arquitetura escolar enquanto responsável pela dignificação do processo ensino-aprendizagem.

A Exposição propõe uma revisita aos projetos e obras das escolas que definem o universo de estudo, organizando-as segundo os 5 temas principais que norteiam o projeto de investigação, desenhando 5 capítulos na ocupação de 5 espaços.

A partir destes 5 temas propõe-se uma narrativa sequencial, iniciada com a Reorganização Espaço-Funcionalque serviu de mote inspirador, quer para a adequação das condições espaciais às novas exigências pedagógicas, quer na transformação dos edifícios escolares segundo um modelo de ensino-aprendizagem adequado à contemporaneidade. No tema Reabilitação e Valor Patrimonial convoca-se a condição dos edifícios preexistentes enquanto matéria operativa para a sua reabilitação, independentemente do maior ou menor valor patrimonial de cada uma das arquiteturas, permitindo-se ampliar a condição pedagógica do “ser escola”, na promoção de uma estratégia de reabilitação. O Contexto Urbano reflete sobre a responsabilidade dos edifícios públicos, nomeadamente os escolares, para com a cidade, compromisso indiscutível no contexto da construção dos primeiros liceus e que, ao longo do tempo, se foi esbatendo ou alienando. Em Infraestruturas debatem-se as consequências da incorporação dos mais recentes diplomas legais, traduzidos numa intensa carga de sistemas infraestruturais mais significativamente intrusivas no contexto da reabilitação de edifícios preexistentes. Finalmente, em Expressão Arquitetónica, reflete-se de que forma as arquiteturas resultaram na diversidade das soluções, enquanto síntese de articulação dos temas anteriores.

Fotografia: © ESCOLAS: Complexidade e Interpretação

_

Data
6 de março até 3 de abril de 2020

Local
FAUP (Sala Plana e Auditório Fernando Távora)

_

Patrocínios: Personal Travel; Arnaud Logis S.A.; Cláudio Lima, Lda.; Jofebar e Panoramah; Santander; Chaise Longue

Apoio: Quinta do Ferro

Parceiro estratégico: Casa da Arquitectura

Apoios Institucionais: Ministério da Educação; Parque Escolar, E.P.E.; Ordem dos Arquitectos – Conselho Directivo Nacional; Ordem dos Arquitectos – Secção Regional Norte

LINKS
ESPECIFICAÇÕES
  • Exposição : ESCOLAS: Complexidade e Interpretação
Galeria
eventos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

3DHR Multimédia

Desenvolvemos projetos em 3D para arquitetura e design interiores

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?