Acervo dos arquitetos Francisco Melo e Jorge Gigante vai ser doado à Casa da Arquitectura

Categorias: arquitectura

O acervo dos arquitetos Francisco Melo e Jorge Gigante vai ser doado à Casa da Arquitectura, numa cerimónia que decorre no próximo dia 11 de julho, às 17h00, no Arquivo da instituição. A apresentação da obra estará a cargo do Professor Domingos Tavares.

 

Vai decorrer no próximo dia 11 de julho, às 17h00, no Arquivo da Casa da Arquitectura, em Matosinhos, a cerimónia de Assinatura “Contrato de Doação do Acervo de Francisco Melo e Jorge Gigante”. Entrada livre.

 

O contrato de doação vai ser assinado por Francisco Melo e pelos herdeiros de Jorge Gigante e, pela parte da Casa da Arquitectura, por Nuno Sampaio, Diretor Executivo.

 

Esta cerimónia conta com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, e do Professor Domingos Tavares, que fará o enquadramento da obra.

 

O acervo dos arquitetos Francisco Melo e Jorge Gigante é constituído por peças desenhadas, peças escritas e uma vasta coleção de fotografias, e cobre a sua atividade desde o final da década de cinquenta até ao início dos anos 90, num total de 152 projetos de várias tipologias: central telefónica (31), urbanismo (22) habitação unifamiliar (21), serviços/comércio (19), habitação coletiva 815), equipamento (15), indústria (8) e hotelaria (5).

 

Francisco Melo e Jorge Gigante constituem gabinete conjunto, no Porto, em 1956. A sua atividade desenvolve-se em torno do urbanismo e da arquitetura, sendo de destacar o conjunto de centrais telefónicas que projetam e constroem para os TLP (Telefones de Lisboa e Porto). Obras de grande exigência técnica e construtiva, são o laboratório de experimentação de muitas soluções que virão a ser aplicadas noutras obras da sua autoria e que serão base de formação para muitos arquitetos. A ampliação da Central Telefónica do Bonfim ou a Central Telefónica de Arcozelo, são obras de referência neste conjunto.

 

A habitação unifamiliar e coletiva, em particular a habitação social e cooperativa, é outra das áreas de concentração de maior número de trabalhos do gabinete sendo de destacar as cooperativas de Mafamude (Gaia) e Cohaemato (Matosinhos).

 

Já na década de 90 do século XX, projetam e constroem a ampliação do Centro Social da Sé do Porto, que se localiza junto às escadas dos Guindais, e é uma marca contemporânea na arquitetura da cidade medieval.

 

Este gabinete foi durante anos local de formação de muitas gerações de arquitetos que lá trabalharam por períodos mais ou menos prolongados. Manuel Correia Fernandes, José Quintão, Domingos Tavares, Manuel Mendes, José Manuel Gigante, Pedro Mendo, Conceição Melo, João Álvaro Rocha, usufruíram desta escola prática e dos conhecimentos e capacidade pedagógica desta dupla de arquitetos. Destes, José Manuel Gigante e João Álvaro Rocha vêm a integrar permanentemente o gabinete em 1989, mantendo-se até ao seu encerramento.

 

O escritório da Rua de D. Hugo 37, onde Jorge Gigante e Francisco Melo se instalaram na década de 70 do século passado, será para sempre referência incontornável na história dos arquitetos e da arquitetura portuguesa da segunda metade do século XX.

 

Principais Projetos e Obras

Urbanismo:

1970 – Plano Geral de Urbanização da Vila da Maia

1962/83 – Vários planos de pormenor para Póvoa do Varzim, Vila Nova de Famalicão, Maia, Ovar, Albergaria-a-Velha, Lamego, Felgueiras e Valongo.

 

Habitação:

1957 – Casa Dr. Neves dos Santos – Porto

1959 – Casa Dr. Veiga de Macedo – Porto

1961 – Duas habitações Armando Pimenta – Porto

1970 – Casa Eng.º Cunha Ramos – Pampelido / Matosinhos

1972 – Sociedade Cooperativa de Construções “O Lar de S. Cristóvão” – Mafamude / Vila Nova de Gaia

1981 – Cooperativa de Habitação Económica “COHAEMATO” – Leça da Palmeira / Matosinhos

 

Centrais Telefónicas:

1965 – Central Automática de S. Mamede Infesta / Matosinhos

1965 – Central Automática de Santo Ovídio / Vila Nova de Gaia

1966 – Central Automática de Ermesinde / Valongo

1967 – Central Automática da Senhora da Hora / Matosinhos

1968 – Ampliação da Central Automática da Lapa / Porto

1969 – Central Automática de Rio Tinto / Gondomar

1970 – Central Automática de Gondomar / Gondomar

1971 – Central Automática de Espinho / Espinho

1972 – Central Automática da Maia / Maia

1972 – Ampliação da Central Automática do Bonfim / Porto

1973 – Central Automática da Afurada / Vila Nova de Gaia

1974 – Central Automática de Arcozelo / Vila Nova de Gaia

1975 – Central Automática de Grijó / Vila da Feira

1977 – Central Automática de Sandim / Vila da Feira

1978 – Ampliação da Central Automática de Gaia 1ª fase / Vila Nova de Gaia

1979 – Central Automática de Alfena / Valongo

1988 – Ampliação da Central Automática de Santo Ovídio / Vila Nova de Gaia

1988 – Ampliação da Central Automática de S. Mamede de Infesta / Matosinhos

1989 – Ampliação da Central Automática de Gondomar / Gondomar

1990 – Ampliação da Central Automática de Espinho / Espinho

 

Equipamentos:

1963 – Escola Primária / Vila Nova de Famalicão

1969 – Conjunto turístico da Serra das Meadas – Motel e Restaurante / Lamego

1978 – Arranjo da Zona da Feira / Lamego

1982 – Creche-Infantário / ATL – Centro Social da Sé Catedral do Porto – Remodelação / Porto

1991 – Centro Social da Sé Catedral do Porto – Edifício de Ampliação / Porto

 

Outros:

1960 – Serralharia mecânica “A Vulcano” – Matosinhos

1964 – Boutique “Sandra” / Viana do Castelo

1969 – Agência do Banco Borges & Irmão do Marquês / Porto

 

Notas biográficas

Jorge Gigante

Nasce em Viana do Castelo em 1919.

Em 1942 conclui o Curso de Condutor de Obras Públicas e Minas do Instituto Industrial do Porto (IIP) que lhe dá acesso a Diretor Técnico do Couto Mineiro de Rio de Frade em Arouca entre 1942 e 1947.

De 1947 a 1954 é Condutor de Obras Públicas e Minas no Gabinete de Urbanização da Câmara Municipal do Porto, cargo que também ocupa entre 1954 e 1958 na APDL ( Administração dos Portos do Douro e Leixões), onde, mais tarde assume as funções de arquitecto.

Conclui o curso de arquitectura da ESBAP em 1958.

Entre 1963 e 1975 é consultor das Câmaras Municipais de Albergaria-a-Velha, Ílhavo, Maia e Ovar.

No pós 25 de Abril, é nomeado Comissário do Governo para a Renovação Urbana da Área Ribeira-Barredo (CRUARB), no Porto, cargo que exerce entre 1975 e 1976.

Paralelamente ao exercício da atividade como arquitecto e urbanista é professor da ESBAP e FAUP (Porto) – em dois períodos distintos, de1967/71 e 1978/90. A sua atividade como docente marca de modo perene várias gerações de arquitectos e constitui os alicerces da disciplina de construção que virá a ser uma das principais bases pedagógicas que caracterizam a Escola do Porto.

Morre no Porto em 1994.

 

Francisco Melo

Nasce no Porto em 1930.

Frequenta e conclui curso de Arquitectura (ESBAP) em 1959, no qual se cruzou com o arquitecto Jorge Gigante. Do seu curso fazem parte alguns dos arquitectos que mais tarde internaciolizaram a arquitectura portuguesa, dos quais se destaca como figura cimeira Álvaro Siza. Ainda durante o curso de arquitetura colabora nos gabinetes de alguns arquitectos de referência entre os quais João Andersen.

Entre 1957e 1960 estagia como arquitecto na SOMEC.

Em 1956 constitui gabinete com Jorge Gigante ao qual se dedica em exclusividade a partir de 1960 até ao seu encerramento em 1994.

No pós 25 de abril integra a Equipa do SAAL de Ovar, liderada por Domingos Tavares.

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

MOON

A única placa de comando em cerâmica.

Tectum PRO

Sistemas Construtivos Cobert