Alumni Inês Lopes e Emanuel Henriques da FA.ULisboa ganharam uma menção honrosa no concurso YAC

Categorias: Arquitetura

Os alumni Inês Lopes e Emanuel Henriques da FA.ULisboa ganharam uma menção honrosa no concurso Dubai Sea House do YAC – Young Architects Competitions.

O concurso tinha como objetivo projetar uma habitação unifamiliar, na baía de Jumeirah, no Dubai, para uma família de 6 pessoas em que um dos filhos tinha mobilidade reduzida

Memória descritiva

A habitação foi concebida de forma que esta se desenvolvesse em torno de uma zona central. Desta forma, é criada uma sensação de invisibilidade quando se chega à habitação, que é quebrada no momento de entrada, através das transparências geradas. A casa abre-se em direção ao pátio exterior que por sua vez revela diferentes patamares que nos levam até à praia captando a essência do mar, estabelecendo uma ligação cénica entre a casa e o território.

A sua geometria foi pensada de forma a criar um recuo de um dos volumes, de maneira a tirar maior partido dos ventos dominantes, privilegiando a circulação de ar. Foram projetadas palas ao longo de toda a habitação permitindo o seu sombreamento, mas também criando zonas de circulação semi cobertas. A criação de pátios permite também o arrefecimento e a ventilação da mesma ao mesmo tempo que permite a entrada de luz natural no plano arquitetónico. As zonas de piscina têm uma função de lazer, mas também de mitigação da temperatura no interior da habitação, a piscina superior cai em forma de cascata sobre a inferior, produzindo um arrefecimento do ar.

Uma particularidade da habitação é a área de bem-estar, esta localiza-se por baixo da piscina exterior que, por ter o fundo em acrílico transparente, permite a iluminação natural deste espaço que se situa na cave.

A fachada em ripado de madeira foi concebida de forma a estabelecer uma ligação entre o edifício e a natureza, mas também com a função de criar uma dupla fachada que serve de proteção ao sol, que ajuda no controlo da temperatura, mas também com a função de gerar uma maior sensação de privacidade dar uma noção de continuidade à fachada frontal.

A parte paisagista é um foco central na habitação, trabalha com o objeto arquitetónico de forma a atenuar a dureza do edificado e a inseri-lo num espaço natural. Esta ligação com o elemento natural é também proporcionada pelos diferentes patamares existentes que permitem uma intimidade nas zonas primordiais da casa, criando uma sensação de oásis entre as zonas verdes, piscinas e o edificado.

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

World Architecture Festival 2022

Take a ticket here »