Artista Julião Sarmento e Arquiteto José Adrião distinguidos com os prémios AICA

O artista plástico Julião Sarmento e o arquiteto José Adrião foram distinguidos com os prémios da Secção Portuguesa da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA) 2012, foi hoje anunciado pela entidade.

 

O Prémios AICA foram atribuídos em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (SEC) e a Fundação Millennium BCP, no valor de 10 mil euros para cada uma das modalidades – artes plásticas e arquitetura – em resultado da apreciação de um júri nomeado pela organização.

 

De acordo com um comunicado da AICA hoje divulgado, os prémios foram atribuídos por unanimidade por um júri de personalidades das áreas das artes visuais e da arquitetura, presidido por Sara Antónia Matos, e também constituído por Helena de Freitas, Nuno Grande, Sérgio Mah e Michel Toussaint.

 

Os prémios AICA, que celebraram três décadas de existência em 2011, perderam nesse mesmo ano o apoio financeiro da SEC, agora retomado, e que permitiu novamente a sua atribuição, relativa a trabalhos de 2011 e 2012.

 

 

Artista plástico Julião Sarmento

 

Na justificação, o júri destacou que Julião Sarmento “é uma das figuras mais relevantes da arte portuguesa desde os anos de 1970, momento em que inicia um percurso de internacionalização que mantém até hoje com intensidade e amplo reconhecimento”.

 

“Artista em permanente estado de experimentação em diversos suportes (pintura, desenho, fotografia, performance, escultura, instalação, filme), a sua obra distingue-se também pela proliferação de inúmeras referências”, sustenta ainda o júri na ata da reunião decorrida na quarta-feira.

 

Nascido em Lisboa, em 1948, autor de uma obra multifacetada, Julião Sarmento é um dos artistas portugueses de maior projeção nacional e internacional.

 

O júri aponta ainda, na ata, a “pluralidade e abertura experimental” de Julião Sarmento, dando como referência mais recente a exposição organizada pela Fundação de Serralves, em 2012.

 

 

Sobre a justificação para o arquiteto José adrião, a AICA destaca a intervenção sobre lugares preexistentes.

 

O júri considerou que o arquiteto “tem sabido afirmar, com descrição, a sua condição contemporânea em diálogo com as memórias materiais e imateriais precedentes, relacionando paisagem, cidade e edifício. Nesse âmbito, diverge das práticas comuns da Reabilitação Urbana e Arquitetónica, que hoje percorrem a retórica política e a promoção imobiliária nas principais cidades portuguesas”.

 

Nascido em Lisboa, em 1965, José Adrião conquistou em 2012 dois dos oito galardões dos FAD (Fomento das Artes e do Desenho) atribuídos em Espanha.

 

No trabalho do arquiteto, o júri destacou os edifícios de habitação em Lisboa, em bairros como Campo de Ourique, na Lapa e na Baixa Pombalina, tendo este último obtido o Prémio Vilalva 2011. Os Prémios AICA vão ser entregues numa cerimónia a realizar em data ainda a divulgar pela entidade.

 

Fonte: ©Lusa

 

Imagens

Artista plástico Julião Sarmento

Arquiteto José Adrião

 

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?  

3DHR Multimédia

Desenvolvemos projetos em 3D para arquitetura e design interiores