Atelier dirigido por arquitecto português vence concurso internacional na China

Categorias: Arquitetura

Atelier dirigido por arquitecto português vence concurso internacional na China

Radicado na China desde 2011, o arquiteto português Élio Zorro lidera o atelier Carrier Johnson, que esta semana arrebatou, num concurso internacional, um grande projeto de habitação e comércio em Xi’an, região oeste do país.

 

Trata-se de quatro torres com uma área de construção de 85.000 metros quadrados, batizadas de “Silver Sky Gardens” e inseridas num novo planeamento desenhado pela firma norte-americana F&M.

 

Além do ateliê de Élio Zorro, que tem sede em Xangai, participaram no concurso mais quatro candidatos.

 

O desafio, lançado pelo grupo privado chinês Vertical City, foi criar um “projeto de arquitetura sustentável”, capaz de “resolver o problema da habitação”, inserida num cenário verde, explicou à Lusa Élio Zorro.

 

“A China, neste momento, atravessa uma fase em que procura projetos ecossustentáveis. E esse era um pré-requisito do programa”, disse o arquiteto.

 

País mais populoso do planeta, com cerca de 1.370 milhões de habitantes, o “gigante” asiático experimentou nas últimas décadas um ritmo de urbanização ímpar na história da humanidade.

 

A percentagem da população urbana subiu de 10,6% em 1949 – ano de fundação da China comunista – para mais de 51% no ano passado.

 

Pelas previsões oficiais, mais 250 milhões de chineses deverão radicar-se nas cidades até ao final da próxima década.

 

“Sou um privilegiado por ter presenciado este fenómeno: o que estamos a viver nesta parte do mundo é incrivelmente único”, comentou o arquiteto de 36 anos.

 

Por outro lado, “a velocidade do desenvolvimento na China não permite o tipo de planeamento semelhante ao que é feito nas cidades europeias”, explicou.

 

Muitos “projetos que vemos nas urbes chinesas estão descontextualizados”.

 

Fruto da carência de profissionais experientes formados no país, a arquitetura é a área que traz mais quadros portugueses à China.

 

“Somos rigorosos, damo-nos bem com o trabalho, respeitamos e temos regras e o patrão e os clientes gostam”, considerou Élio.

 

O ‘Silver Sky Gardens’ vai ser construído em Xi’an, a antiga capital da China e o extremo oriental da histórica Rota da Seda, que durante séculos ligou o “gigante” asiático e a Europa, através da Ásia Central.

 

É também lá que fica o Exército de Terracota, uma imensa coleção de esculturas que representa os soldados de Qin Shi Huang, o primeiro imperador da China.

 

O uso da calçada portuguesa está previsto na maquete apresentada pela Carrier Johnson, mas Élio Zorro não tem certeza de que possa mesmo ser incluída no projeto final.

 

“Gostava que ficasse, mas não existem calceteiros aqui na China”, afirmou.

 

Foto Escada rolante num centro comercial em Xangai © AFP PHOTO

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?