Atelier R2 Design vence Prémio Design de Livro 2020 com “Arquivo Diogo Seixas Lopes”

O atelier R2 Design venceu o Prémio Design de Livro 2020, pela resposta ao “desafio complexo” de desenhar o livro “Arquivo Diogo Seixas Lopes”, da Dafne Editora, revelou hoje a Direcção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas (DGLAB).

O prémio é atribuído por consenso, com o júri a sublinhar “o modo categórico, extremamente competente, como R2 respondeu ao desafio complexo de formalizar e organizar os materiais de texto e de imagem, assegurando a consistência estrutural e o ritmo do livro ao longo das suas mais de 850 páginas”.

O livro, com edição de André Tavares e ‘selo’ da Dafne Editora, reúne os textos e publicações do arquitecto Diogo Seixas Lopes (1972-2016) que estavam dispersos por diferentes suportes e meios, e que versam sobre variados temas, da música punk rock ao cinema, da arte à arquitectura.

O R2 Design foi fundado em 1995, no Porto, por Lizá Defossez Ramalho e Artur Rebelo, trabalha nas áreas do design para arquitetura, arte contemporânea e teatro, tendo sido distinguido em 2014 como melhor atelier europeu de design.

Nesta terceira edição do Prémio Design de Livro foram ainda atribuídas menções honrosas a Joana Durães, pelo design de “Ce qu’il reste”, e ao Atelier Carvalho Bernau, pelo design de “Irma Blank”.

O júri integrou Sílvia Prudêncio, Miguel Wandschneider, Rui Costa e Rui Silva.

De acordo com a DGLAB, no âmbito deste prémio, foram ainda selecionados 17 livros para participarem no prémio internacional “Best Book Design All Over the World”, da fundação alemã Stiftung Buchkunst.

Entre os 17 livros selecionados estão “Amanhã não há arte”, com design de Márcia Novais, “Post Millenium – Critical essays on contemporary tensions – We would prefer not to – Resistance & Resilience (vol. 3)”, com design de esad-idea, investigação em design e arte.

Foram ainda escolhidos “Building views on Alvar Aalto”, com design de Ana Resende e João Novais, “Colagem / coragem – sobre a consciência das mãos”, com design de ilhas estúdio, “Fiction Practice”, com design de Joana Pestana e Max Ryan, “Quando alguém morria perguntavam apenas: tinha paixão?”, com design de Isabel Duarte, “Frontiere, expressões de design contemporâneo”, com design de Degrau, e “Páginas inquietas: sobre documentos insubmissos”, com design de Sofia Gonçalves.

Há ainda “Steve Paxton”, com design de Sofia Gonçalves, “A imagem da palavra / L’image de la parole”, com design de Pedro Nora, “Acéfalanterna”, com design de Studio Maria João Macedo, “Lixo de Pinho”, com design de Studio Maria João Macedo, “Elephant”, com design de André Príncipe”, “environements”, com design de Nuno da Luz, “Artur Jafa. Uma série de prestações absolutamente improváveis, porém extraordinárias”, com design de ATLAS projectos.

A lista completa-se com “T2019”, com design de Marco Balesteros, e “Shaping shape”, com design de And Atelier.

O Prémio Design do Livro foi criado em 2017 pelo Ministério da Cultura, com o objectivo de “valorizar áreas de criação directamente ligadas à produção do livro na sua qualidade de objeto físico”.

© LUSA/DI

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Goma by Flowco

Azulejos ecológicos fabricados em Portugal

Archicad 24

Clique aqui para saber mais.