Australianos distinguidos com o Prémio Mundial de Inovação em Engenharia de Pontes “BERD-FEUP WIBE 2019”

Categorias: Produtos

“Novel bridge system for durable, low-cost and rapid construction”, desenvolvido pela faculdade de Engenharia Civil da Universidade de Queensland, na Austrália, foi destacado com o Prémio de Inovação Mundial em Engenharia de Pontes, atribuído pela BERD e FEUP.

O júri distinguiu, ainda, com dois Prémios de Mérito, correspondentes ao 2º e 3º lugar, o projecto desenvolvido pelo Departamento de Energia, Sistemas, Território e Engenharia Construtiva da Universidade de Pisa, em Itália, “The TVT & Rainbow bridge: a new technique for long-spanned highly transparent footbridges” e o projecto português, desenvolvido pelo Instituto Superior Técnico, em conjunto com a Universidade do Minho e a empresa Alto Perfis, “São Silvestre footbridge: an innovative GFRP-SFRSCC hybrid structural system”, respetivamente.

Para João Falcão e Cunha, diretor da FEUP “Este é o primeiro prémio lançado a nível nacional e internacional focado na inovação em engenharia de pontes”, devendo por isso passar a ser considerado “o prémio Nobel das Pontes”, enaltecendo assim a capacidade de inovação dos engenheiros nacionais e internacionais. Trata-se de uma excelente oportunidade “para promover a nível internacional as elevadas capacidades existentes no domínio da engenharia de pontes”.

Por sua vez, Pedro Pacheco, CEO da BERD, afirma “O Prémio mundial em inovação em engenharia de Pontes instituído pela BERD e pela FEUP – Prémio WIBE – já é uma realidade e uma referência de máximo prestígio internacional. Focado na inovação útil para a sociedade tem a adesão e participação ativa das mais importantes associações internacionais da especialidade. Com milhares de seguidores em mais de 150 países é um desafio de criatividade que já está no imaginário de Engenheiros de Pontes de todos os pontos do globo como a maior referência de prestígio e reconhecimento nesta área, a nível mundial.”

A cerimónia realizou-se no Paço dos Duques, na cidade de Guimarães, e contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Este grupo australiano venceu a primeira edição do Prémio por se ter distinguido ao nível da inovação no estado da Arte de Engenharia de Pontes a nível internacional, premiado com o valor monetário de 50.000 USD.

Os autores do trabalho evidenciaram-se ao demonstrar o maior potencial de inovação e contribuir para o desenvolvimento da engenharia de pontes em todo o mundo, selecionados por um Júri qualificado composto por 13 membros, dez dos quais especialistas internacionais.

Sobre o vencedor
O Vencedor do WIBE PRIZE, “Novel bridge system for durable, low-cost and rapid construction”, é resultado de um longo trabalho de I&D, com o objetivo desenvolver um sistema de pontes inovador que permitirá uma construção sustentável e rápida. Este novo sistema de pontes, hybrid double skin tubular arch (DSTA) bridge, consiste num tubo exterior de polímero reforçado com fibra (FRP), num tubo interior de aço, e um preenchimento com uma camada de betão entre estes.
O tipo de pontes DSTA proposto é leve, durável, de baixo custo, baixa energia incorporada e de construção rápida, constituindo uma alternativa muito atrativa ao tradicional projeto de pontes.
Os autores são L. de Waal, S. Jiang, S.R. Hislop-Lynch, D. Fernando & S. Ahn, Da Escola de Engenharia Civil, da Universidade de Queensland, St Lucia, Queensland, Austrália. J.G. Teng, Do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, da Universidade Politécnica de Hong Kong, Hong Kong, China. P. Rodma, Da Rocket C Pty Ltd, Brisbane, Queensland, Austrália. E P. Burnton, Da Arup Pty Ltd, Brisbane, Queensland, Austrália

Outros trabalhos destacados

Menções Honrosas WIBE Prize

“The TVTδ “Rainbow” bridge: a new technique for long-spanned highly transparent footbridges” : o trabalho que irá receber a Primeira Menção Honrosa diz respeito a uma nova abordagem do que poderia ser a experiência visual de um pedestre enquanto olha ou caminha numa ponte pedonal.
A inovação – ‘The TVTδ “Rainbow” bridge’ consiste em construir uma ponte pedonal quase transparente com um vão livre relevante. É proposta uma solução de vidro estrutural que permite atender, simultaneamente, a requisitos de níveis de segurança adequados e de eficácia de custos. O projeto é inspirado na ideia de uma conexão evanescente que ao atravessar desperta uma sensação de leveza e combina um efeito visual de transparência e reflexos de luz solar.
Os autores são: Maurizio Froli, do Departamento de Engenharia de Energia, Sistemas, Território e Construção, da Universidade de Pisa, Pisa (PI),Itália. Francesco Laccone, do Departamento de Engenharia de Energia, Sistemas, Território e Construção, da Universidade de Pisa, Pisa (PI),Itália. E Agnese Natali, do Departamento de Engenharia Civil e Industrial, da Universidade de Pisa (PI), Itália

“São Silvestre footbridge: an innovative GFRP- SFRSCC hybrid structural system”
O trabalho que irá receber a Segunda Menção Honrosa demonstra que, para alcançar qualidade e melhoria efetiva, não é necessária dimensão. Neste trabalho podemos observar uma ponte pedonal compósita muito leve, permitindo uma instalação muito rápida, com alta durabilidade e transparência eletromagnética; inicialmente projetada para passagens superiores pedestres de linhas férreas, como alternativa aos clássicos cruzamentos ferroviários, pode ser aplicada a qualquer tipo de necessidade em termos de vias pedestres.
Os autores são J.A. Gonilha, J.R. Correia & F. Branco, da CERIS, Instituto Superior Técnico – Universidade de Lisboa, Portugal. J. Barros, J. Sena-Cruz, da ISISE, Universidade do Minho, Portugal. E Tomé Santos, da ALTO Perfis Pultrudidos, Portugal

Sobre o prémio
O prémio, atribuído por um Júri constituído por reputados Engenheiros de entidades de máxima importância a nível mundial na área da Engenharia de Pontes, distingue o maior contributo para a inovação desta área a nível. Participaram no Prémio mais de 20 mil utilizadores de 146 nacionalidades, tendo sido avaliadas candidaturas que envolveram mais de 200 autores de cerca de 50 países.
Lançado em 2015, o Prémio de Inovação Mundial em Engenharia de Pontes conta com o Alto Patrocínio da Presidência da República e visa partilhar o sucesso do modelo de investigação e desenvolvimento que a BERD e a FEUP têm vindo a aplicar. Nos últimos anos, ambas as instituições mantêm um estreito contato com a vanguarda da engenharia internacional de pontes, ao mesmo tempo que contribuem para a sua evolução.

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?