Casa de Chá da Boa Nova reabre em junho

Categorias: Arquitetura

Chef Rui Paula quer um restaurante de excelência, com uma gastronomia que honre a arquitetura de Siza Vieira.

 

“Foi amor à primeira vista. Há aqui um degrau onde se vê o céu, o mar e a terra. Nunca vi um sítio tão bonito. A Casa de Chá tem um encanto especial. Vou incutir esta paixão em todos os meus colaboradores”, disse o Chef Rui Paula, na cerimónia de assinatura do contrato de arrendamento.

 

O contrato agora assinado surge na sequência da decisão da Câmara Municipal de Matosinhos, em novembro do ano passado, de ceder, em regime de comodato, a concessão da Casa de Chá da Boa Nova à Associação Casa da Arquitetura (ACA) por um período, renovável, de 20 anos.

 

A Casa de Chá da Boa Nova, classificada como monumento nacional, é da autoria de um dos principais arquitetos da Escola do Porto, reconhecido nacional internacionalmente e vencedor do prémio Pritzker-Álvaro Siza Vieira.

 

De acordo com o protocolo celebrado, uma das obrigações da ACA era “promover o arrendamento do espaço, após a sua requalificação, a pessoa singular ou coletiva, detentora de elevados padrões de qualidade, reconhecimento e excelência gastronómica, nomeadamente, com prémios e galardões a este nível”.

 

A escolha recaiu sobre o conceituado Chef Rui Paula, já com uma longa carreira no universo da gastronomia, com vários prémios conquistados. Abriu restaurantes em Portugal e no Brasil, editou com sucessos livros temáticos e participou em inúmeros programas de televisão, entre os quais o “Master Chef”.

 

“Antes, a Casa de Chá da Boa Nova era um bom restaurante, mas como tantos outros que temos em Matosinhos. A nossa aposta, ao escolher o Chef Rui Paula, foi de termos um restaurante de excelência”, esclareceu o Dr. Guilherme Pinto, na qualidade de presidente da direção da ACA.

 

De acordo com o edil, “a principal renovação é na cozinha, que levou uma transformação completa”. Todos os trabalhos, frisou, estão a ser acompanhados de perto pelo arquiteto Siza Vieira.

 

 

“Vamos trabalhar com produtos daqui. Temos peixe e marisco como ninguém. Também vamos trabalhar as carnes especiais, a caça na época da caça, as trufas, os tubérculos e os legumes. Este vai ser um restaurante diferenciado, de excelência. Já é conhecido pela arquitetura, agora queremos que seja conhecido pela gastronomia. Queremos criar comida com memória. Este será um ateliê, um restaurante experimental”, adiantou o Chef Rui Paula.

 

A assinatura do contrato de arrendamento contou com a presença do Vice-presidente da Autarquia, Dr. Eduardo Pinheiro, do Vereador da Cultura, Fernando Rocha, da Vereadora da Ação Social, Dr.ª Lurdes Queirós, e do Vereador dos Transportes e Mobilidade, Dr. José Pedro Rodrigues.

 

O Dr. Guilherme Pinto revelou ainda a ambição de, ainda durante este mandato, o restaurante da Casa de Chá da Boa Nova poder vir a ser distinguido com uma estrela Michelin. “Gostava muito de ter uma estrela Michelin. Vou trabalhar para os meus clientes e para quem nos vier visitar. Vou trabalhar para que seja um restaurante de excelência, que honre a arquitetura do Siza Vieira”, concluiu Rui Paula.

 

O contrato de arrendamento tem um prazo de 20 anos, podendo ser renovado por períodos de 5 anos até ao limite máximo de 30 anos.

 

Prevista a reabertura para junho, o valor das obras de reabilitação da Casa de Chá da Boa Nova (edifício, mobiliário e zona envolvente) ronda o milhão de euros.

A lotação máxima permitida será de 40 pessoas.

 

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Archicad 24

Clique aqui para saber mais.

3DHR Multimédia

Desenvolvemos projetos em 3D para arquitetura e design interiores