Casas mais baratas para comprar situam-se em Penedono. E para arrendar em Chaves

A procura de casas continua a superar a oferta de habitações existente no país quer para comprar quer para arrendar, havendo mesmo habitações que ficam menos de uma semana no mercado, revela o último estudo do idealista. E, em resultado, os preços das casas têm subido em flecha.

De acordo com o portal, comprar casa em Portugal ficou 1,2% mais caro no primeiro trimestre de 2022 face ao trimestre anterior e a mediana nacional fixou-se em 2.352 euros por metro quadrado (euros/m2);

Arrendar uma habitação no país encareceu +2,6% entre esses dois momentos e a renda mensal situou-se nos 990 euros por mês (euros/mês), em termos medianos, no primeiro trimestre de 2022.

Com o aumento generalizado dos preços movido pela inflação em alta em Portugal, importa agora saber onde é mais caro e mais barato comprar casa. E como o mercado de crédito habitação está em mudança, motivada pelas regras na concessão de crédito – foram estabelecidos novos prazos máximos de pagamento do crédito consoante a idade dos titulares – e pela subida das taxas Euribor, que espreitam valores positivos, o idealista avança onde é que se encontram as casas para arrendar mais e menos económicas no país.

Casas para comprar: quais os 20 concelhos mais baratos?

É no interior na região Centro que se concentram as casas à venda mais baratas do país. O ranking que reúne os 20 concelhos portugueses que apresentam preços das casas mais económicos entre Janeiro e Março de 2022, sete situam-se no distrito da Guarda, quatro em Viseu, três em Castelo Branco e três em Portalegre. Os distritos de Bragança, Coimbra e Santarém estão representados por um município cada.

É mesmo no concelho de Penedono, no distrito de Viseu, que se encontram as casas para comprar mais baratas de todo o país, apresentando um preço mediano unitário de 305 euros/m2 – um valor quase oito vezes inferior à média nacional. E notar ainda que o valor de “305 euros/m2 está bem distante dos 5.130 euros/m2 verificados no município de Lisboa [o máximo registado]”, sublinham os especialistas do idealista/data.

Logo a seguir está o município de Fornos de Algodres, na Guarda, onde as casas à venda custam 363 euros/m2, em termos medianos. O terceiro lugar é ocupado por Vila Velha de Ródão, em Castelo Branco, onde comprar casa custa 389 euros/m2.

Nesta lista, os valores unitários destas casas à venda variam entre os 305 euros/m2 (em Penedono) e os 476 euros/m2 no Sardoal, distrito de Santarém. Todos apresentam valores, pelo menos, cinco vezes inferiores à mediana nacional (2.352 euros/m2).

E onde se situam as casas mais caras para comprar?

A lista que reúne os 20 concelhos com preços das casas mais elevados é liderada por Lisboa, onde comprar uma habitação custa 5.130 euros/m2 (o dobro da mediana nacional). Logo a seguir está Cascais, município onde comprar casa custa com 4.021 euros/m2, em termos medianos, no primeiro trimestre do ano. O top três fica completo com o concelho de Grândola, distrito de Setúbal, onde o preço mediano das casas se fixou em 3.850 euros/m2.

Verifica-se uma dispersão dos valores no ranking dos 20 concelhos onde é mais caro comprar casa no país, já que entre o preço mediano maior (5.130 euros/m2, em Lisboa) e o menor (2.257 euros/m2, em Portimão) há uma diferença de 2.837 euros/m2, mostram os dados.

De notar ainda que os concelhos mais caros para comprar casa em Portugal situam-se, sobretudo, no Algarve – com 10 municípios a integrar o distrito de Faro –, no distrito de Lisboa (cinco), no distrito de Setúbal (três) e no distrito do Porto (dois).

Arrendar casa em Portugal: os concelhos mais baratos são…

O relatório mostra que há uma maior dispersão geográfica entre os 20 concelhos com casas mais baratas para arrendar no primeiro trimestre de 2022. Isto porque estes municípios distribuem-se por 11 distritos do país, do Interior ao Litoral, passando até pela metrópole do Porto. Recorde-se que no mercado de compra e venda os municípios concentraram-se em sete distritos do interior Centro do país.

Mas onde é que se localizam os concelhos que concentram as casas mais baratas para arrendar em Portugal? Nos distritos de Castelo Branco (três), Viseu (três), Vila Real (dois), Coimbra (dois), Porto (dois), Leiria (dois) e Portalegre (dois), seguido de Bragança, Braga, Guarda e Santarém representados por um concelho cada, mostram os dados.

“A nível nacional, o município com o valor de arrendamento mensal mais baixo é Chaves [com uma renda média de 354 euros por mês]. Lousada, com um valor de arrendamento mensal de 467 euros, fecha o top 20 dos municípios mais baratos para arrendar casa”, referem os especialistas do idealista/data.

De notar ainda que a renda mediana das casas neste ranking é bem inferior à mediana nacional, de 990 euros/mês. Em concreto é, pelo menos, menos de metade deste valor, ou seja, inferior a 495 euros/mês.

Onde é mais caro arrendar casa em Portugal?

No caso das casas mais caras, não há diferenças geográficas significativas entre o mercado de arrendamento e de compra de venda. Isto porque, uma vez mais, o distrito de Faro concentra o maior número de concelhos onde arrendar casa é mais caro – um total de oito. E logo a seguir estão Lisboa (cinco), Setúbal (quatro) e o Porto (um). Há ainda que registar a entrada do distrito de Leiria e da Região Autónoma dos Açores para o pódio, com um concelho cada.

“No top 20 das casas para arrendar mais caras está São Brás de Alportel, situado no distrito de Faro, com 2.216 euros/mês”, referem os especialistas. E logo a seguir encontra-se Cascais, a apresentar uma renda mediana no primeiro trimestre do ano de 1.698 euros/mês. Em terceiro lugar está Lagoa com 1.420 euros/mês.

“O município que fecha o top 20 dos mais caros no mercado do arrendamento é Albufeira, também no distrito de Faro, com um valor mensal de 1.019 euros”, referem os especialistas, salientando que todos os concelhos deste ranking apresentam rendas superiores à mediana nacional. Uma ausência a salientar nesta lista é a do município do Porto.

© Diário Imobiliário

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?