DepA e Pablo Pita vencem concurso público para a concepção do projecto Percursos Pedonais – Ligações Mecanizadas

Categorias: Arquitetura

A estratégia geral da proposta assenta na afirmação de um “percurso longitudinal nascente-poente” conectado através de peças arquitectónicas que desenham as maiores transposições de cotas e que funcionam como agrafos urbanos em pontos estratégicos.

A afirmação desta “linha” define um percurso a meia distância entre outros dois eixos longitudinais principais existentes, a marginal ao longo do rio à cota mais baixa (Rua Nova da Alfândega) e, à cota mais alta, o sistema Cordoaria/Sto António/Rua D. Manuel II, permeando e permeável a ambos .

No seu conjunto, a proposta torna significativamente mais permeáveis os dois grandes “bastiões muralhados” (morro do Palácio de Cristal e Jardim/Passeio das Virtudes) à encosta de Miragaia, abrindo uma resposta a três níveis: um a pequena e média escala (interligação de percursos pedonais existentes com melhoramento da situação pré-existente e desenho de novos percursos de complemento), outro a larga escala (desenho de ligações a pontos nevrálgicos de uma rede pedonal alargada, bem como ligações às redes de transporte públicos urbanos, ciclovias e equipamentos) e, por fim, à escala programática propõe-se a criação de uma base física (desenho de plataformas/promontórios) que permitirão um complemento ao programa com a introdução de equipamentos de pequena escala (estufas, cafetarias, esplanadas, etc) em pontos-chave dos percursos que contribuirão positivamente para a vivificação deste tecido urbano.

A proposta não se quer de rotura, nem com a história da cidade nem com o seu ambiente e a sua materialidade. Assim, o desenvolvimento de novos percursos/melhoramento de percursos existentes e seus espaços verdes envolventes apresenta uma clara estratégia de simbiose e continuidade com o património e a identidade existentes, sem contudo deixar de assumir as novas peças urbanas/arquitectónicas como a marcação de um novo tempo de intervenção. Assim, o desenho da proposta equilibra-se entre o lado pétreo da cidade, do granito, das escarpas, dos muros e socalcos construídos, com a colocação de elementos de betão texturado de enorme carga material que ”ancoram” e fazem o contacto com o solo dos vários momentos da intervenção e que dentro da mesma linguagem vão desenhando as diferentes necessidades, e a ideia oposta de leveza, com a colocação de outros elementos mais leves que lhes são sobrepostos, em metal e madeira – nomeadamente as peças que acolhem os elevadores ou os equipamentos complementares sobre os promontórios.

Ficha Técnica
Arquitectura: depA Architects + Pablo Pita
Especialidades: Edgar Brito, CPX

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Goma by Flowco

Azulejos ecológicos fabricados em Portugal