Estudantes de arquitetura competem para construir a melhor casa-barco

Categorias: Arquitetura

Estudantes de arquitetura competem para construir a melhor casa-barco, o concurso internacional na área da arquitetura flutuante é promovido pela Go Friday e Miami School of Architecture.

Foi anunciado que a Go Friday, marca líder em arquitetura flutuante sedeada em Portugal, em parceria com a Miami School of Architecture (SOA), assinalaram o final do concurso “Floating House Design Competition”, realizado no summer school de 2022 com alunos de diversos países.

A competição teve como objetivo promover a investigação relacionada com importantes aspetos que têm contribuído para o desenvolvimento da arquitetura flutuante em todo o mundo. De que forma poderá a arquitetura flutuante contribuir para uma maior habitabilidade num futuro marcado pelas mudanças climáticas, foi uma das questões que estiveram da base deste concurso que colocou em evidência algumas das preocupações partilhadas pela Go Friday e pela SOA, como seja a adaptação ao calor extremo e o aumento do nível do mar.

Neste concurso, no qual participaram 16 alunos com trabalhos individuais e em grupo, foram apurados três vencedores, os quais, além de um prémio monetário, terão a oportunidade de conhecer o departamento de I&D da Go Friday, em Portugal, onde apresentaram, pessoalmente, os projectos vencedores. “The Lantern House”, da autoria de Lauren Elia, foi o projecto vencedor, seguindo-se em segundo lugar  “The Mangroon”, da dupla Vanessa Crespo e Anan Yu e, em terceiro lugar, “Aria”de Tiffany Agam e Isacio Albir. As propostas apresentadas pelos jovens estudantes de arquitetura têm em comum a resposta a um desafio: criar casas flutuantes, projectadas a partir de estruturas capazes de fazerem face às alterações climáticas, adaptando-se ao meio ambiente.

“A ideia de morar em casas flutuantes é algo que devemos levar em consideração, principalmente morando em Miami”, relembra Veruska Vasconez, professora da Miami School of Architecture, acrescentando que “as inundações tendem a agravar-se e o desenvolvimento excessivo de arranha-céus é esmagador”, pelo que ”o bom arquiteto deve ser capaz de pegar no conceito de casa-barco e criar espaços que proporcionem qualidade de vida”.

A cerimónia que reuniu os alunos e professores da Miami School of Architecture contou ainda com a presença de José Maria Ferreira, CEO da Ecosteel, Grupo detentor da Go Friday, para quem “as casas-barco são a prova que há sempre espaço para inovar, nunca esquecendo as crescentes preocupações com soluções que primem pela eficiência energética e sustentabilidade ambiental.”

Para José Maria Ferreira, as casas-barco da Go Friday são fruto do pioneirismo, abordagem visionária e de uma aposta no estabelecimento das melhores relações e parcerias na área da indústria, design, tecnologia e I&D. “Acaba por ser gratificante assistir ao talento de jovens futuros arquitetos que acreditam naquele que é o conceito da Go Friday e no potencial que possui enquanto solução para viver e desfrutar em ambientes únicos como seja o rio Douro, em Portugal, o rio Mystic em Massachusetts, nos Estados Unidos ou as margens Porto Rico, cenário que surgiu de inspiração para um dos projectos vencedores”, acrescenta.

Distinguida dois anos consecutivos pela prestigiada Revista BUILD Architecture, a Go Friday tem-se destacado na área da construção e arquitectura pela inovação e design, procurando sempre encontrar as melhores soluções baseadas nos princípios da eficiência energética e sustentabilidade ambiental.

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

World Architecture Festival 2022

Take a ticket here »

Registe a sua Empresa

Crie a sua conta gratuitamente e promova os produtos da sua empresa.