Morreu a arquiteta Zaha Hadid

Categorias: Arquitetura

“É com imensa tristeza que a Zaha Hadid Architects confirma que Zaha Hadid morreu subitamente às primeiras horas da manhã em Miami. Tinha contraído uma bronquite no início desta semana e teve um súbito ataque cardíaco enquanto esta a ser tratada no hospital”, divulgou em comunicado o seu atelier.

 

Hadid, uma britânica de origem iraquiana, foi a primeira mulher a ganhar o Prémio Pritzker de Arquitectura em 2004, a distinção mais importante na área. Habituada a ser num mundo de homens, foi também a primeira mulher a ganhar o prémio do Royal Institute of British Architects no ano passado, 170 anos depois de ter sido instituído.

 

Entre a sua extensa lista de projectos contam-se, por exemplo, o Centro Aquático das Olimpíadas de Londres de 2012, o Centro Cultural Heydar Aliyev, em Baku, no Azerbaijão, o museu MAXXI, em Roma , a Ópera Guangzhou e a Innovation Tower de Hong Kong, ambos na China, a sede da BMW em Leipzig, na Alemanha, e o Centro Rosenthal de Arte Contemporânea, no Ohio, Estados Unidos.

 

A sua arquitectura esteve no centro de uma polémica já no início deste ano depois do Japão ter desistido do seu projecto para o Estádio Olímpico de Tóquio, evocando custos excessivos. O projecto foi passado para o arquitecto japonês Kengo Kuma.

 

Quando ganhou Pritzker, o presidente do júri, Jacob Rothschild, disse que a arquitectura de Hadid é “sempre inventiva”, “alterou a geometria dos edifícios”, afastando-se das tipologias existentes. Na mesma altura, Frank Gehry, também membro do júri e prémio Pritzker em 1989, sublinhou a clareza do seu percurso arquitectónico, acrescentando que cada novo “projecto é estimulante e inovador”.

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE