Estabelecimento de ensino IES Pagasarribide conta com a instalação de tetos Armstrong

Categorias: Arquitetura

O novo estabelecimento de ensino secundário IES Pagasarribide conta com a melhor acústica graças à instalação de tetos Armstrong

 

O novo estabelecimento de ensino secundário IES Pagasarribide BHI é um projeto levado a cabo pelo gabinete de arquitetura PERALTA AYESA, em Biscaia, com o objetivo de alojar mais 200 alunos, aumentando assim o espaço educativo. O novo edifício, com mais de 3.300 m2, divide-se em oito salas de aulas, uma cantina, uma biblioteca, um ginásio, um laboratório e salas específicas para o ensino de música, informática e educação visual. A escola situa-se numa parcela urbana com condicionantes relevantes, concretamente o forte desnível do terreno, bem como uma escassa superfície para cumprir com as necessidades que o projeto apresentava. Além disso, era necessário ligar as novas salas de aula com as já existentes e isto levou-se a cabo através de uma passagem pedonal já existente.

Por este motivo, para que o edifício ocupasse o menor espaço possível, propôs-se que fosse compacto. Desse modo concebeu-se o alpendre de forma a estar integrado no edifício, reduzindo-se o custo de uma cobertura ligeira e libertando-se o máximo espaço exterior para que o pátio seja maior. Pensado para se adaptar à forma do lote, o edifício tem o mínimo impacto sobre este. Como tal, está disposto de forma a haver uma ligação fluida entre o interior e o exterior, enriquecendo as possibilidades de ambos. E, apesar do lote ser irregular, também se conseguiu criar espaços interiores proporcionados, como as salas de aulas, que estão dispostas de tal forma que tiram o máximo proveito da luz que entra pelas janelas, conseguindo que o ambiente seja adequado para estudar e haja uma redução do consumo.

Os tetos Armstrong asseguram um ambiente ideal para os espaços educativos
Para que os estudantes se relacionem e aprendam nas melhores condições possíveis, torna-se necessário criar zonas e espaços de ensino com condições adequadas de luz, atenuação acústica, máxima inteligibilidade, entre outras características. Para tal, com vista ao melhor resultado, é imprescindível a escolha de tetos acústicos com excelentes prestações, que deem resposta a estas questões. Neste sentido, os arquitetos escolheram a gama de tetos de fibra mineral Sahara da Armstrong. Graças ao rebordo Vector, estes tetos de estética minimalista combinam um bom rendimento de absorção com atenuação do ruído. Além disso, garantem um excelente acesso ao plenum menor. Esta gama foi instalada nas salas de aulas e nos corredores, as zonas mais importantes do edifício. Os arquitetos da obra confiaram portanto na marca Armstrong para que os estudantes tivessem as melhores instalações possíveis na sua nova escola.

Estes tetos apresentam ainda uma elevada reflexão da luz, de até 84%. Como tal, combinando os grandes janelões com a instalação dos tetos Sahara, consegue aproveitar-se ao máximo esta luz. Este facto tem um impacto direto na manutenção da iluminação apropriada do lugar e na economia do consumo. Por outro lado, a gama Sahara também consegue uma elevada absorção e atenuação acústica, quer dentro das salas de aulas como entre as mesmas. Trata-se de uma característica muito importante dado que, quando se concebe uma escola, a preocupação é geralmente a atenuação do ruído dentro da sala de aulas, e não a propagação do ruído para as salas adjacentes. A Armstrong considera este inconveniente, razão pela qual os tetos Sahara não só oferecem uma atenuação acústica de até 35 dB, como também atenuam a propagação de ruído para as salas contíguas.

Assim, graças à correta instalação dos tetos Sahara, conseguiu-se o ambiente adequado para que a comunicação entre professores e alunos seja mais clara e a envolvente mantenha níveis de volume que não sejam prejudiciais para a convivência.

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?