Oito projectos do arquiteto Álvaro Siza candidatos a Património Mundial da UNESCO

Categorias: Arquitetura

Um conjunto de oito projetos do arquiteto Álvaro Siza irá compor uma candidatura a Património Mundial da UNESCO. Entre as obras estão o Museu de Serralves e o Pavilhão de Portugal, em Lisboa.

Estas oito obras do arquiteto Álvaro Siza em Portugal compõem uma candidatura a Património Mundial, que foi submetida na passada quinta-feira, depois de revista, disse o diretor da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP) esta terça-feira.

A candidatura intitulada “Obras de Arquitetura de Álvaro Siza em Portugal” faz parte da lista indicativa do Património Mundial de Portugal desde 2016, com uma lista de 18 projetos, tendo sido entretanto diminuída para oito.

Os oito projetos são o edifício da FAUP, a Piscina das Marés, a Casa de Chá da Boa Nova, o Museu de Serralves, o Pavilhão de Portugal em Lisboa, o Bairro da Bouça, a Igreja do Marco de Canavezes e a Casa Alves Costa em Caminha.

O diretor da FAUP, João Pedro Xavier, explicou à Lusa que a seleção dos oito projetos se justifica com o “facto de a maior parte deles já ser património” e pela “variedade tipológica ou funcional dos edifícios propostos”.

Os casos do Bairro da Bouça, no Porto, e a Casa Alves Costa, em Caminha, foram submetidos para classificação nacional, pelo que João Pedro Xavier salientou que também será preciso que haja “alguma ‘luz verde’” em relação a esses dois imóveis.

No que diz respeito à Bouça, há também a expectativa de que venha a ser alvo de “algumas obras”, em particular de pintura.

O diretor da FAUP disse que “a candidatura está preparada com as chamadas extensões futuras”, para que, mais tarde, se possam associar outros projetos do arquiteto Prémio Pritzker, incluindo no estrangeiro.

“Aí, a ideia é incluir não só algumas obras que já estão na lista indicativa, a Malagueira [em Évora], o Chiado [em Lisboa] e outras obras significativas, mas também abrir para obras no estrangeiro que estejam fora de Portugal”, afirmou João Pedro Xavier.

De acordo com um comunicado da FAUP, datado do final de março, a 15 de janeiro decorreu a primeira submissão da candidatura, que obteve “parecer favorável”.

“A FAUP está a coordenar, desde 2021, os trabalhos conducentes à candidatura para a inscrição de um conjunto de obras de Álvaro Siza na Lista do Património Mundial da UNESCO” e o “diretor da FAUP é o responsável pela submissão da candidatura”, segundo o mesmo documento.

São parceiros da candidatura a Universidade do Porto, Universidade de Lisboa, Câmara Municipal do Porto, Câmara Municipal de Matosinhos, Câmara Municipal de Lisboa, Câmara Municipal do Marco de Canavezes, Câmara Municipal de Caminha e a Fundação de Serralves.

Teresa Cunha Ferreira é a coordenadora executiva no âmbito da Cátedra UNESCO “Património Cidades e Paisagens. Gestão Sustentável, Conservação, Planeamento e Projeto”. A equipa de trabalho integra os docentes e investigadores Ana Tostões, Carlos Machado, José Miguel Rodrigues e Rui Fernandes Póvoas; e os consultores Bénédicte Gandini, Jörg Haspel, Spela Spanzel, Mariana Correia, Soraya Genin, Nuno Ribeiro Lopes, José Aguiar, Xavier Romão, Isabel Breda Vásquez, Isabel Coimbra.

O trabalho diplomático está a ser coordenado pelo embaixador José Filipe Morais Cabral, presidente da Comissão Nacional da UNESCO.

© Lusa

Fotos © DR

LINKS
Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Biblioteca BIM Leca ®

»