Portugal é um dos grandes países da Arquitectura Contemporânea

Categorias: Arquitetura

A afirmação é de Jacques Herzog, da dupla Herzog & de Meuron, que encerrou com chave de ouro a segunda Trienal de Arquitectura de Lisboa.

 

O arquitecto suíço brindou uma Aula Magna repleta com um conjunto de projectos da autoria do atelier, abordando alguns dos temas, conceitos e preocupações que “assaltam” a arquitectura do conceituado gabinete.

 

A introdução da conferência ficou a cargo de Eduardo Souto de Moura que sublinhou a qualidade e lucidez dos projectos desenvolvidos pela dupla suíça, independentemente do lugar para onde são pensados.

 

José Mateus, director executivo da Trienal fez um balanço muito positivo desta edição, salientando que “a arquitectura portuguesa tem uma dimensão que vai além do público especializado e das fronteiras”.

 

Comparando edições, José Mateus adiantou os números apontam para o dobro dos registados em 2007, não deixando de sublinhar a diversidade do público. Factor que leva a que a próxima Trienal, em 2013 seja seguramente pensada ainda de uma forma mais global.

 

José Mateus encerrou a sua intervenção garantindo que esta não foi uma despedida, uma vez que a organização da Trienal já está a preparar a próxima edição, bem como alguns eventos a acontecer nos próximos meses.

 

Nesse âmbito, o director executivo da Trienal revelou que em Março próximo será dado a conhecer um concurso internacional que tem como objectivo escolher o tema e o curador geral da próxima edição, a realizar em 2013.

 

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?