Prémio Début da Trienal de Arquitetura de Lisboa para Atelier Bureau Spectacular

Categorias: Arquitetura

O Prémio Début Trienal de Lisboa, no valor de 5.000 euros, foi atribuído ao atelier norte-americano Bureau Spectacular/Jimenez Lai, em Chicago, revelou hoje à agência Lusa fonte da organização.

Iniciativa da Trienal de Arquitetura de Lisboa, evento que começou na quinta-feira e vai decorrer na capital durante três meses, o prémio, em primeira edição, visa distinguir arquitetos ou estúdios com menos de 35 anos.

O prémio pretende galardoar o trabalho de exceção, desenvolvimento de projeto original e ideias críticas.

O anúncio e entrega do Prémio Début Trienal de Lisboa decorreu numa cerimónia realizada na quinta-feira à noite no Museu da Eletricidade, em Lisboa, onde a Trienal tem patente uma das exposições deste ano, “Futuro Perfeito”.

A esta edição do prémio, patrocinado pelo Millennium BCP, concorreram cerca de 180 estúdios/jovens arquitetos, e chegaram dez à final, dois deles portugueses: o atelier SAMI, em Setúbal, e FALA, no Porto.

Eram ainda finalistas o Assemble (Londres), o Atelier Hirschbichler (Zurique), Frida Escobedo (México), Gruppe (Zurique), Lópold Lambert (Nova Iorque), Pedro y Juana (México), e SO – IL (Nova Iorque).

Em declarações à agência Lusa, José Mateus, presidente da Trienal, sublinhou o facto de “o prémio ser português, mas ter um caráter internacional, aberto a estúdios e arquitetos de todo o mundo”.

Sobre o atelier vencedor, é descrito no sítio online da Trienal, que este ano tem o título “Close, Closer”, como uma equipa de média etária nos 34 anos.

“Tendo construído uma reputação com base em publicações fantásticas e especulativas, Jiminez Lai é um arquiteto cuja abordagem narrativa conjuga uma posição teórica e um trabalho projetual cuidado”, refere a Trienal.

O júri do prémio foi presidido pela curadora-geral da Trienal, a britânica Beatrice Galilee, a espanhola Eva Franch i Gilabert, o chinês Ou Ning, a mexicana Tatiana Bilbao e o português Diogo Seixas Lopes.

A programação da 3.ª edição da Trienal de Arquitetura de Lisboa integra exposições, debates, publicações, concursos e projetos, sobre a prática arquitetónica contemporânea.

A sede da Trienal de Arquitetura de Lisboa está instalada no Palácio Sinel de Cordes, junto ao Campo de Santa Clara, na capital, mas a programação desta edição – a decorrer até 15 de dezembro – será descentralizada para vários pontos da cidade.

Os polos expositivos principais são “A Realidade e Outras Ficções (Espaço Carpe Diem Arte e Pesquisa), “Futuro Perfeito” (Museu da Eletricidade) e “O Efeito Instituto” (MUDE – Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo).

Na Praça da Figueira foi montada uma plataforma em madeira para realizar as conferências, abertas ao público.

 

Imagens

White Elephant (Privately Soft) (2011) | Exhibition Space: LoT Louisville, KY | Bureau Spectacular/Jimenez Lai

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE