Primeira unidade industrial da Kerakoll em Portugal é da autoria AD Quadratum Arquitectos

Categorias: Arquitetura

A Kerakoll, empresa líder internacional no setor da construção sustentável, inaugurou recentemente a sua primeira unidade produtiva em Portugal. O projeto de arquitetura, da autoria do gabinete ad quadratum arquitectos, respeita os padrões de sustentabilidade e de poupança energética, característicos na pegada industrial da marca italiana que, aliás, é hoje líder internacional no mundo do GreenBuilding com soluções que respeitam o ambiente e as pessoas. A unidade está instalada no Parque de Negócios de Rio Maior, no distrito de Santarém.

 Com um investimento de mais de 11 milhões de euros e o envolvimento de uma equipa especializada nas várias áreas de intervenção, a nova fábrica de Rio Maior foi construída em menos de um ano: estende-se numasuperfície total de 19.000 m2, dos quais 6.600 m2 cobertos, e com uma capacidade produtiva de cerca de 60.000 ton/ano.

 

UM PROJETO DE ARQUITETURA SUSTENTÁVEL COM ASSINATURA DO GABINETE AD QUADRATUM ARQUITECTOS

O projeto de natureza industrial, visou edificar uma unidade com funções de fabrico, armazenagem, áreas administrativas e sociais, áreas técnicas e logísticas, tendo como denominador comum em todas as áreas de intervenção o foco na sustentabilidade ambiental.

Assim, nesta unidade foram instalados 900 m2 de sistemas para isolamento térmico e 443 painéis fotovoltaicos que garantem a produção anual de 55% da energia eléctrica e de 70% da água quente necessária.

Este projeto foi ainda norteado por um diverso conjunto de outros investimentos de carácter ambientalcomo o são exemplo as medidas de atenuação de ruído e poeiras, a produção de energia a partir de fontes renováveis (fotovoltaica), o uso extensivo de plantas em jardins e fachadas como medidas passivas e sustentáveis de controlo térmico e solar.

O PROJETO PREVIU UM ADEQUADO RELACIONAMENTO FORMAL E FUNCIONAL COM A ENVOLVENTE

Baseado na sua experiência de mais de 20 anos de projeto e por uma prática de rigor em todos os seus trabalhos, José António Lopes, arquiteto responsável pelo projeto de arquitetura desta nova unidade, desenhou um projeto onde todas as condicionantes urbanísticas e regulamentares foram devidamente observadas.

«Para além do enquadramento genérico no Plano Director Municipal de Rio Maior, a pretensão encontrou especial enquadramento no Loteamento resultante do Plano de Pormenor do Parque de Negócios de Rio Maior, observando exaustiva e rigorosamente todas as suas condicionantes aplicáveis», refere o arquiteto José António Lopes, CEO do gabinete ad quadratum arquitectos.

«A fábrica situa-se próxima da costa atlântica, numa posição estratégica para o aprovisionamento de matérias-primas como areias, carbonato de cálcio e cimentos, permitindo reduzir o tráfego rodoviário, em linha com a vocação sustentável da empresa», atenta o também urbanista e autor de estudos estratégicos de planeamento territorial e ordenamento, José António Lopes.

O conjunto edificado é na sua maioria composto por um piso térreo (nave de armazenagem/fabrico) sendo de excluir o topo nascente que integra áreas administrativas de apoio à produção com dois pisos (térreo e andar) e o topo Poente que acolhe a receção, áreas de formação, comerciais e administrativas com três pisos (térreo e dois andares). Todo o conjunto edificado não excede a cércea máxima de 15 metros sendo de facto a cércea dominante de 11,50 metros.

A nova fábrica portuguesa, parte integrante do plano de desenvolvimento industrial que o Grupo Kerakoll estabeleceu em 2020, reforça a presença do Grupo na Península Ibérica, onde é já ativo com duas unidades produtivas em Espanha, uma em Almazora e outra em Castellón de la Plana. «Portugal é o 9º país em que a Kerakoll reforça a sua presença com uma unidade produtiva: trata-se de um mercado particularmente interessante pela potencialidade de crescimento económico e pelas dinâmicas em perspetiva, especificamente no setor da construção, graças também aos resultados obtidos na luta contra a covid-19 com uma elevada percentagem de população vacinada», considera Andrea Remotti, Administrador Delegado do Kerakoll Group.

 

Um gabinete com 22 anos de prática

Fundada em 1999, a ad quadratum arquitectos conjuga a sólida formação de todos os colaboradores, com uma vasta e diversa prática profissional regulada em todos os projetos e obras por uma postura distinta e orientada para a qualidade.

Licenciado pela Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto há mais de vinte anos e pós-graduado em Estudos Avançados em Património Arquitetónico, José António Lopes, assumindo a autoria de todas as intervenções, lidera uma equipa de profissionais que encara o exercício da arquitetura enquanto disciplina condicionada por valores, onde a arte e a técnica do projetar/edificar estão ao serviço do Homem e do Ambiente.

Com a sua referência à “Escola do Porto”, José António Lopes assina uma prática de rigor na qualificação e organização do espaço e na articulação de diversas escalas de trabalho, desde o ordenamento do território ao planeamento de pormenor, do edifício ao design de mobiliário urbano e de objetos.

Na ad quadratum arquitectos é marcante e diferenciadora a experiência na arquitetura industrial, com relevância nas especificidades do ramo alimentar. Suportada na experiência, mas também na formação e investigação, a intervenção em edifícios e conjuntos de Interesse Patrimonial e Património Classificado, tem sido uma prática conjugada com a reabilitação urbana, o urbanismo e o planeamento territorial. Prática consolidada em vertentes muitos específicas da arquitetura, que requerem conhecimentos teórico-científicos aliados à experiência de mais de 20 anos de projeto.

LINKS
Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?