Projecto Português Leva Energias Renováveis à Guiné-Bissau

Categorias: Arquitetura

Uma vila da Guiné-Bissau vai passar a ter electricidade graças à acção de duas entidades portugueses. O atelier Pedro Novo juntou-se à TESE e ao programa Engenheiros Sem Fronteiras e ofereceu o projecto arquitectónico.

 

A vila de Bambadinca, na Guiné-Bissau, vai poder ter electricidade, finalmente, graças a um projecto português. As infra-estruturas que lá vão ser construídas estão relacionadas com as energias renováveis.

 

A Organização Não Governamental (ONG) TESE, juntamente com o seu programa Engenheiros Sem Fronteiras, e o atelier de arquitectura Pedro Novo (em parceria com o atelier AP.art) querem dotar a vila de “um serviço de energia eléctrica moderno, fiável e acessível a toda a população através de fonte de energia renovável”.

 

Depois da construção da central fotovoltaica, o jovem arquitecto Pedro Novo, do atelier com o mesmo nome, foi convidado para se associar ao projecto liderado por David Afonso.

 

“A dada altura do documentário, o padeiro diz que, num dia normal, gasta uma vela e, num dia ventoso, duas. Para nós, é uma realidade tão assustadoramente distante que, quando vemos estes relatos, isto mexe connosco e faz com que tenhamos vontade de participar”, refere o arquitecto.

 

 

“Bambadinca Sta Claro”

O arquitecto Pedro Novo diz que o edifício projectado vai servir para proteger os geradores e as baterias da central foto-voltaica. “Achámos por bem produzir um objecto que estivesse de acordo com todo o espírito”, explica. Aproveitamento de energia solar, utilização de materiais da região e um sistema construtivo que envolve a população são algumas das características.

 

A construção do edifício já foi entregue a um consórcio hispano-guineense, diz Pedro Novo, e o projecto arquitectónico foi oferecido pelo atelier.

 

“Bambadinca Sta Claro” (designação crioula que em português significa “Bambadinca tem luz”) é um projecto que faz parte do Programa Comunitário para Acesso a Energias Renováveis e tem a duração total de 42 meses (início a 1 de Outubro de 2011 e fim a 31 de Março de 2015).

 

Fonte: p3.publico.pt

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?