Projetado pelo Atelier Jean Nouvel, Museu de Arte Pudong abre ao público

Categorias: Arquitetura

O monumental museu revestido de granito do Atelier Jean Nouvel, no distrito de Pudong em Xangai, agora está finalizado e aberto aos visitantes. Rotulado como um “domínio” pelo escritório de arquitetura, o Museu de Arte de Pudong ocupa um amplo terreno de quase 40.000 m² nas margens do rio Huangpu, e oferece aos visitantes um espaço voltado para a cultura, cercado pelo rio e por uma paisagem com grandes árvores.

Revestido com cálidas pedras de granito branco, o museu paira na água, iluminando o tom de sua fachada. O restaurante do museu está situado em um volume, que se eleva acima do rio e oferece aos visitantes uma vista panorâmica do deck e de seus barcos. O terreno está visual e fisicamente separado das torres vizinhas, por meio de um conjunto de árvores altas e um jardim linear em formato de V com cerca de 700 metros, que juntos criam uma espessa moldura ao redor do local e oferecem um respiro para o espaço. A paisagem, o campo de pedras, o átrio, o terraço e a calçada à beira do rio abrigarão esculturas contemporâneas e peças de arte, iluminadas o dia inteiro.

As superfícies de pedra do museu variam em tamanho e são texturizadas com um padrão de gota de chuva, que possui um leve relevo antiderrapante. Os ângulos agudos usados na estrutura serão revestidos de metal para atenuar sua nitidez. As salas do último pavimento, assim como o espaço expositivo do átrio, serão iluminadas com luz natural proveniente de micro aberturas. Além da luz artificial, o escritório acrescentou janelas para emoldurar vistas selecionadas da paisagem, oferecendo aos visitantes cenas da cidade vizinha.

Uma das características mais importantes do museu são as telas interativas. Duas placas verticais, uma acima do museu e outra no topo da torre de ventilação, são conectadas à noite por raios de laser, que configuram linhas de luz cruzadas acima do museu. A tela do lado oeste é projetada como um “testemunho da arte do século XXI”. É uma fachada mutante com vidros duplos, espelhos e saliências em uma longa unidade retangular. A tela será uma galeria de espelhos de grande porte fixados em dois pavimentos sobrepostos. Durante o dia, na tela do lado oeste do cômodo estarão os espaços de instalação ou de apresentação. Já para a noite, a tela ficará programada para exibição de vídeos.

Fotografias © Chen Hao

Escrito por | Traduzido por Rafaella Bisineli © Archdaily.br

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?