PROJETO RÉS DO CHÃO PROPÕE A RECUPERAÇÃO DOS PISOS TÉRREOS VAZIOS EM LISBOA

PROJETO RÉS DO CHÃO PROPÕE A RECUPERAÇÃO DOS PISOS TÉRREOS VAZIOS EM LISBOA

 

Inquietas com o número cada vez maior de espaços vazios nos térreos de edifícios em Lisboa, quatro arquitetas criaram o projeto Rés do Chão, uma iniciativa que pretende, através da reocupação e reabilitação dos pisos térreos desocupados, revitalizar as ruas e dinamizar a cidade.

 

A iniciativa identifica um problema que se tem agravado na cidade de Lisboa: a crescente desocupação dos pisos térreos comerciais urbanos. A União das Associações de Comércio e Serviços (UACS) informa que, em 2012, a média de estabelecimentos comerciais a encerrar por dia, no distrito de Lisboa, foi de 13 e que se estima que em 2013 esse número tenha aumentado para 16.

 

""

Entre outras causas, a diminuição do comércio de rua tem conduzido a uma significativa desocupação dos pisos térreos e, consequentemente, à degradação do património edificado e do espaço público; à desertificação das ruas e aumento do sentimento de insegurança e à perda das dinâmicas de bairro e das relações de vizinhança e proximidade.

 

O Rés do Chão constitui soluções que contribuem para o aumento do número de pisos térreos urbanos ocupados e revitalizados. Através destas soluções o projeto contribui para a requalificação do património edificado e do espaço público; para a diversidade funcional das ruas; para o aumento da atração e concentração de pessoas e, consequentemente, para a construção das relações de vizinhança e proximidade.

 

O que o projeto propõe?

RELACIONAR proprietários e arrendatários, disponibilizando informações necessárias para ambas as partes;

 

REABILITAR pisos térreos comerciais desocupados;

 

PROMOVER modelos de arrendamento de curta duração e de espaços partilhados, tais como: co-working, lojas pop-up, aulas, debates, exposições, entre outros;

 

GERIR a rotatividade das atividades destes pisos térreos;

 

DINAMIZAR os pisos térreos arrendados, através da divulgação e publicidade das atividades dos seus arrendatários e da criação de eventos em rede;

 

DIVULGAR a importância e vantagens da ocupação dxe pisos térreos comerciais, construindo um diálogo entre agentes públicos e privados.

 

Os pisos térreos são espaços fundamentais de transição com a rua, tendo por isso maior capacidade de dinamizar e promover o seu uso. As atividades neles desenvolvidas têm um papel social fundamental, contribuindo para a construção da imagem e identidade da cidade. Tenham ou não um benefício comercial direto, as atividades desenvolvidas nos pisos térreos estabelecem uma interação valiosa com o espaço público e criam relações diretas com os transeuntes.

 

""

 

Estes espaços têm uma relação privilegiada com a rua e com os transeuntes e uma particular facilidade de acesso. A vitrine, elemento típico de um piso térreo comercial, é um espaço privilegiado de divulgação de uma atividade, ofício, serviço ou negócio.

 

A proximidade com a vizinhança, ao nível do piso térreo, permite uma relação mais direta com as diferentes atividades envolventes. Sendo os pisos térreos parte da extensão da urbanidade da rua, desenvolver a sua atividade num piso térreo contribuirá para a requalificação e dinamização do espaço público, contrariando a tendência de desertificação dos bairros.

 

""

 

A vitalidade das cidades depende da capacidade de renovação dos seus usos e modos de ocupação. No caso da reabilitação e reocupação dos pisos térreos, esta questão coloca-se não só pela relação privilegiada que estes espaços mantêm com o espaço público, promovendo o seu uso, mas também pelo incentivo à ocupação e reabilitação dos pisos superiores e de outros edifícios no mesmo bairro.

 

Mais informações:

http://resdochao.org

noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Goma by Flowco

Azulejos ecológicos fabricados em Portugal

Archicad 24

Clique aqui para saber mais.