Sir David Adjaye é premiado com a RIBA Royal Gold Medal 2021

Categorias: Arquitetura

© Alex Fradkin

O Royal Institute of British Architects (RIBA) acaba de anunciar que Sir David Adjaye é o vencedor da Royal Gold Medal 2021. A medalha é concedida como reconhecimento ao conjunto da obra, “a uma pessoa ou grupo de pessoas que tiveram uma influência significativa, direta ou indiretamente, no avanço da arquitetura”.

Sir David Adjaye, ao longo de 25 anos, conquistou a atenção internacional por meio de uma série de intervenções inovadoras construídas em diferentes partes do globo, abrangendo desde casas particulares, exposições e design de móveis, até grandes edifícios culturais e masterplans de cidades. Desde o início de sua carreira, combina a prática profissional com o ensino em escolas de arquitetura no Reino Unido e nos EUA, incluindo as universidades de Harvard, Michigan, Pensilvânia e Princeton. Seu escritório, Adjaye Associates, foi fundado em 2000 e hoje possui estúdios em Accra, Londres e Nova Iorque, com projetos em todo o mundo.

Adjaye é mais conhecido pelo Museu Nacional de História e Cultura Afro-americana Smithsonian, em Washington, DC (2016). Outros projetos concluídos incluem a Ruby City, um centro de arte em San Antonio, Texas (2019); a Alara Concept Store em Lagos (2016); o Sugar Hill Mixed Use Development(habitação, museu e escritórios comunitários) no Harlem, Nova Iorque (2015); a Aishti Foundation, um centro de varejo e artes de uso misto em Beirute, Líbano (2015); duas bibliotecas comunitárias em Washington, DC (ambas de 2012); a Escola de Administração de Moscou Skolkovo na Rússia (2010); o Museu de Arte Contemporânea de Denver, Colorado (2007); o Centro Nobel da Paz em Oslo, Noruega (2005); o Centro de Artes Rivington Place em Hackney, Londres (2007); e as Idea Stores – duas bibliotecas comunitárias em Londres (2004, 2005).

É uma grande honra ter colegas a reconhecer o trabalho que desenvolvi com a minha equipa e a nossa contribuição para o campo nos últimos 25 anos. Arquitetura, para mim, sempre tratou de criar algo belo que contribuísse igualmente para todas as pessoas ao redor do mundo e, também, para a evolução do ofício. O impacto social desta disciplina foi e continuará a ser a força orientadora que informa a minha prática. Um momento de sincero agradecimento a todas as pessoas que apoiaram minha caminhada até aqui. – Sir David Adjaye

Aclamado por seu trabalho, Sir David Adjaye já foi premiado com a Medalha de Bronze RIBA de 1993, pelo melhor projeto estudantil do Reino Unido, além dos Prêmios Internacionais RIBA de 2008 para o Museu de Arte Contemporânea de Denver, e em 2013, para a Biblioteca Francis Gregory e a Biblioteca William. O Lockridge / Bellevue em Washington DC.

Os projetos atuais incluem uma nova sede para o The Studio Museum no Harlem, Nova Iorque, em colaboração com Cooper Robertson; o 130 William, um arranha-céu residencial no distrito financeiro de Nova Iorque; a International Finance Corporation (IFC) em Dakar, Senegal; o Princeton University Art Museum em Princeton, New Jersey, em colaboração com Cooper Robertson; a George Street Sydney Plaza em Sydney, Austrália; The Abrahamic Family House, um complexo inter-religioso em Abu Dhabi; a Biblioteca e Centro de Eventos de Winter Park em Winter Park, Flórida; o Memorial do Holocausto e Centro de Aprendizagem do Reino Unido, em Londres, liderado por Adjaye Associates, com Ron Arad Architects e Gustafson Porter + Bowman como paisagista; o Museu Real do Benin em Benin City, Nigéria; a Catedral Nacional de Gana em Accra; e a Biblioteca Presidencial Thabo Mbeki em Joanesburgo, África do Sul.

Na ocasião da premiação, o presidente do RIBA, Alan Jones, declarou:

Foi um prazer e uma honra absolutos presidir o comitê e participar da seleção de Sir David Adjaye como o medalhista de ouro de 2021. Em todas as escalas, de casas particulares a grandes centros de artes, pode-se sentir o zelo de David Adjaye e o poder criativo e enriquecedor de sua arquitetura. Seu trabalho é local e específico e, ao mesmo tempo, global e inclusivo. Misturando história, arte e ciência, cria ambientes altamente elaborados e envolventes que equilibram temas contrastantes e inspiram a todos nós. Acredito que sua prática e ensino em escolas de arquitetura tenha enriquecido significativamente seu trabalho. Sua visão artística e social levou à criação de projetos públicos que demonstram perfeitamente o potencial cívico da arquitetura – fomentando empatia, identidade e orgulho. A contribuição de David para a arquitetura e o design mundial já é surpreendente, e estou ansioso para ver o que está por vir.

Por meio de seu trabalho como arquiteto, Sir David Adjaye fala com confiança através de culturas, disciplinas, políticas e continentes. Sua obra é global e local, perfeitamente sintonizada à medida que reflete e responde ao contexto e à comunidade, ao clima e à cultura.

As lições que Adjaye aprendeu através de sua série inicial de residências conceituais construídas na paisagem mutante do centro de Londres foram desconstruídas e reconfiguradas ao passo que abria seus horizontes para espaços cívicos mais amplos e socialmente engajados de cidades de outras partes do mundo. Ouvindo clientes e usuários, e muitas vezes trabalhando com artistas, o trabalho de Adjaye é contraditório e, ao mesmo tempo, coerente, contrastante e ousado, estabelecendo e equilibrando elegância e coragem, leveza e peso, escuridão e luz.

Adjaye combinou prática e ensino em escolas de arquitetura em todo o mundo e defendeu a representação cívica por meio do discurso público. Dedica-se a comunicar e criar uma arquitetura que seja pessoal e inspirada pela cultura e pelas histórias da vida das pessoas, sensibilizando-se com lugares que oferecem novas camadas de empatia, experiência e envolvimento.

Seu trabalho revela uma crença central no poder gerador da arquitetura. Em um mundo que se polarizou, ele une política, arte e ciência, trabalhando para criar um futuro melhor. O Museu Nacional Smithsonian de História e Cultura Afro-Americana em Washington DC uniu suas muitas agendas arquitetônicas e culturais e expressou o papel que a arquitetura pode desempenhar no pluralismo.

Adjaye é um talento singular e oportuno; um forte lembrete do papel perspicaz e integrador do arquiteto.

 

© Archdaily . Escrito por | Traduzido por Romullo Baratto

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Goma by Flowco

Azulejos ecológicos fabricados em Portugal