Sistemas de Lajes Ativas | Thermal Active Building System – TABS

Categorias: Arquitetura

Os sistemas de Lajes Ativas | Thermal Active Building System -TABS combinam os sistemas de aquecimento e arrefecimento através de um sistema de circuitos de tubagens de polietileno reticulado que se integram na estrutura de betão ou nas paredes nos edifícios. As TABS funcionam a temperaturas próximas da temperatura ambiente, o que facilita a sua integração com fontes de energia renovável e de arrefecimento natural. O sistema de TABS é um sistema já consolidado e comprovado especialmente nos países da Europa devido à poupança energética que proporciona e ao reduzido investimento que exige em comparação com outras tecnologias tradicionais baseadas no ar. Nos últimos anos, optou-se por este sistema em diferentes obras emblemáticas realizadas em Espanha e Portugal. Em modo de arrefecimento, durante a noite, quando o edifício está vazio e a energia é mais barata, o sistema arrefece o núcleo do betão do edifício através de sistemas de arrefecimento ou de uma fonte de refrescamento natural. De dia, quando os utilizadores estão no seu interior e o edifício se encontra em pleno rendimento, a laje do teto, que estava fria, acumula a carga térmica do interior ou da radiação solar, voltando a ser arrefecida à noite e repetindo-se o ciclo. Portanto, estes sistemas permitem aproveitar a inércia térmica da massa de betão que constitui a estrutura do edifício, combater a carga latente do mesmo e servir de complemento à refrigeração/aquecimento de base do edifício.


Vantagens

O sistema de lajes ativas não é um sistema de ar condicionado nem substitui o sistema obrigatório de ventilação, mas reduz ao mínimo a utilização das tecnologias convencionais. Cumpre todos os certificados de construção sustentável como o LEED, BREEAM e DGNB. A economia começa na fase de construção e mantém-se ao longo de toda a vida útil do edifício. Verifica-se uma redução nos custos de investimento e exploração entre 30% e 50 %, graças à utilização de unidades de arrefecimento e aquecimento mais pequenas, tal como no caso das condutas de ar necessárias para atingir os níveis de higiene exigidos. Ao incrementar a economia energética por utilizar água a uma temperatura muito baixa em aquecimento, próxima dos 35°C, e alta em arrefecimento, de cerca de 18°C (muito próxima da temperatura ambiente), é possível incrementar substancialmente a eficiência das fontes de energia renováveis, convertendo-se assim no complemento ideal para a utilização de energias renováveis como a geotermia, a energia solar térmica ou a absorção. Deste modo, o teto, o chão e as paredes contribuem para arrefecer o ambiente de forma percetível, além de servirem de complemento para o aquecimento de base do edifício. Este sistema combate as cargas sensíveis do edifício, pelo que as dimensões do sistema de climatização principal serão menores e, portanto, o respetivo custo, consumo energético e manutenção serão também menores. O conforto é garantido graças às temperaturas ótimas e uniformes proporcionadas por um sistema silencioso onde não há circulação de ar, evitando o pó e as correntes de ar e garantido um ambiente interior mais saudável e confortável, facilitando o cumprimento de normas como a UNE EN ISSO 7730 para o cálculo do bem-estar térmico.


  • Maior economia energética
  • Serve de complemento à refrigeração/aquecimento de base do edifício.
  • Incremento da eficiência das fontes de energia renovável
  • Melhoria da qualidade do ar no edifício


Características

O processo de instalação é perfeitamente compatível com os prazos de execução da obra, podendo realizar-se através de lajes maciças de betão pré-fabricadas que incluem os circuitos no seu interior ou, se for o caso, através de módulos pré-fabricados de acordo com o projeto e que irão revestir a superfície que se pretenda ativar termicamente. Tendo em conta o projeto, os módulos são instalados previamente à aplicação do betão, com ativação térmica de ambas as faces (superior e inferior) da laje. Posteriormente, cada circuito é ligado a um coletor a partir do qual é regulado o caudal de água necessário; este coletor é alimentado através de tubagens de distribuição de água, que a transportarão condicionada à temperatura necessária (18-28°C) a partir da fonte de energia utilizada. Um dos casos típicos é utilizar como fonte de energia a geotermia com bomba de calor água-água, proporcionando desempenhos excecionais. Por fim, o sistema contará com um controlo que permitirá otimizar os horários e temperaturas em função das previsões meteorológicas, da atividade do edifício e da sua ocupação.


Estudo

“Custos do ciclo de vida. Sistema de Lajes Ativas e outros sistemas de climatização”

Realizado pela empresa Mott MacDonald apresenta as seguintes conclusões:

O resultado demonstrou que a escolha de um sistema de Lajes Ativas (TABS) da Uponor como sistema de climatização reduz de forma significativa o custo do ciclo de vida completo do edifício em comparação com outras alternativas. O estudo evidencia que o Sistema de Lajes Ativas (TABS) permite uma economia de custos entre 19% e 33%.


Obras de referência em Portugal:

  • Universidade de Aveiro
  • Museu Nacional dos Coches, Lisboa
  • MAAT, Lisboa

LINKS
VÍDEOS
Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Registe a sua Empresa

Crie a sua conta gratuitamente e promova os produtos da sua empresa.

Isopan

Apresentamos a Esquadria Perfeita