Souto Moura ganha concurso para Piscina de S. João da Madeira

Categorias: Arquitetura

O arquitecto Eduardo Souto Moura é o vencedor do concurso público internacional lançado pela Câmara de S. João da Madeira para escolha do projecto de construção da nova piscina coberta da cidade.

Distinguido em 2011 com o Prémio Pritzker, o arquitecto foi seleccionado entre 46 candidatos e, segundo fonte da autarquia, «vai agora projectar aquela que será a primeira piscina da sua autoria a ser construída».

 

Para Castro Almeida, presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira, «esta é verdadeiramente uma aposta na qualidade», dado que, «pela quarta vez nos últimos seis anos, S. João da Madeira irá contar com trabalhos do mais recente ‘Nobel’ da arquitectura».

 

«Mesmo em tempos de austeridade e de contenção, não se deve perder de vista o objectivo da qualidade. Bem pelo contrário, essa prioridade passa a revestir-se ainda de maior importância», declarou o autarca à Lusa.

 

Na selecção do vencedor, a qualidade global do projecto e a eficiência energética anunciada para o novo equipamento pesaram 95 por cento na decisão do júri, enquanto os honorários influíram apenas cinco por cento e, no caso da proposta de Souto Moura, são de 250 mil euros – sendo que, como habitual neste tipo de procedimento, o nome dos arquitectos a concurso só foi conhecido na fase final do processo.

 

Implicando uma empreitada estimada em 4,5 milhões de euros, a nova piscina coberta de S. João da Madeira será o quarto projecto que Eduardo Souto Moura desenvolve para o município, depois de ter assinado o desenho dos arranjos exteriores para o parque de estacionamento subterrâneo do Mercado Municipal e ter também definido dois planos de pormenor para a cidade: o do Largo do Souto, nas proximidades da Igreja Matriz, e o das Corgas, entre a actual zona das piscinas e os edifícios da Oliva.

 

A nova piscina, cujo projecto terá agora que ser desenvolvido em maior detalhe, será implementada no Complexo Desportivo Paulo Pinto, na zona onde hoje existem os courts de ténis – que, entretanto, serão transferidos para a Zona Desportiva das Travessas.

 

A estrutura de Souto Moura irá substituir a piscina que, estando em funcionamento há cerca de 30 anos, deixou de ter capacidade para responder ao aumento da procura, com a agravante de se revelar «ultrapassada ao nível de eficiência energética», como informa fonte da autarquia.

 

«Um estudo realizado pela Câmara Municipal permitiu concluir que fica mais barato fazer uma piscina nova do que ampliar e renovar a antiga», adianta a mesma fonte.

 

Imagens © Direitos Reservados

Galeria
noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE