SUBVERT STUDIO VENCE CONCURSO PARA NOVO EDIFÍCIO DA RECEÇÃO DO PORTUGAL DOS PEQUENITOS

SUBVERT STUDIO VENCE CONCURSO PARA NOVO EDIFÍCIO DA RECEÇÃO DO PORTUGAL DOS PEQUENITOS

 

O atelier Subvert Studio é o vencedor do concurso de ideias promovido pela Fundação Bissaya Barreto para o novo edifício da receção do Portugal dos Pequenitos. Este é o primeiro passo do projeto de expansão deste parque temático, a desenvolver nos próximos anos, de forma faseada. Com um percurso jovem e já premiado internacionalmente, o atelier Subvert Studio é composto pelos três sócios Tiago Rebelo de Andrade, Diogo Ramalho e José Rico Sofia, originários de Lisboa, Porto e Coimbra, e intervém nas áreas da Arquitetura e do Design.

 

"O

 

A Fundação Bissaya Barreto promoveu um concurso de ideias para o novo edifício da receção do Portugal dos Pequenitos, convidando 25 jovens arquitetos, com obra feita, de todo o País. Venceu o projeto do atelier Subvert Studio, eleito entre 11 propostas concorrentes.

 

O edifício remete para as formas das velas das embarcações dos Descobrimentos, e reflete a diversidade e a vontade portuguesa de viajar e partir à descoberta. O novo edifício situa-se no extremo oposto à atual entrada e cumpre várias funções: bilheteira, sala para festas de aniversário, área para pista de gelo/ringue de patinagem, loja e espaço de restauração. Permite ainda ao visitante a visualização sobre toda a área do Portugal dos Pequenitos.

 

A área circundante de acesso ao edifício é beneficiada com espelhos de água e um percurso verde, alusivo à imagem de bosque e recuperando o desenho dos jardins clássicos, com recurso ao bucho, um elemento sempre presente na obra do Professor Bissaya Barreto. O envidraçado permite, à medida que nos aproximamos, ver mais do interior do parque, numa crescente descoberta e aumento de expectativa.

 

O ponto de partida conceptual do projeto é, nas palavras dos fundadores do atelier "a própria base da cultura portuguesa – o percurso, a viagem e as descobertas. Tal como o parque convida a este percurso de submersão nas raízes portuguesas, intimamente ligadas ao mar, às descobertas que este possibilitou, identificamos como ponto central da proposta interpretar este conceito de viagem, através de um olhar contemporâneo. A curiosidade que é tão inerente ao povo português é transposta para este universo sem tempo nem escala, através do olhar de uma criança. Desta forma, o Portugal dos Pequenitos simboliza esta viagem de (auto)descoberta do património e essência portuguesa. É um mundo sensorial, símbolo das demais dicotomias, interiores e exteriores, de uma descoberta".

 

Para os mentores do projeto o edifício simboliza "uma máquina fora do tempo e de escala, as velas com vento sobre o mar instável, as próprias ondas do mar, um pássaro pronto a levantar voo, uma gare de encontros e desencontros ou a tenda que se levanta em acampamentos. Antecipando o universo criativo da criança, pretende-se um edifício que permita o despoletar de inúmeros processos de interpretação, onde poderá depositar empiricamente as suas memórias e criar novas e múltiplas associações. Esta interação e descoberta existe sobretudo através deste conceito de viagem".

 

"Se o parque é uma viagem, o nosso edifício desenha-se estável na terra e lança-se com as velas ao vento. É ponto de partida e simultaneamente de regresso, espaço de expectativa, de transição, mas também de estadia, de encontros, e reencontros. O edifício remete para as formas náuticas das embarcações dos Descobrimentos, simboliza o mar e, reflecte a diversidade e a vontade portuguesa de não se ancorar à terra, de partir numa viagem”, acrescentam os mentores.

 

 

Atelier jovem e premiado

Com um percurso jovem e já premiado internacionalmente, o atelier Subvert Studio e composto pelos três sócios Tiago Rebelo de Andrade, Diogo Ramalho e José Rico Sofia, originários de Lisboa, Porto e Coimbra, e intervém nas áreas da Arquitetura e do Design.

 

O arquiteto Tiago Rebelo de Andrade, em representação do atelier, manifesta satisfação com o resultado do concurso. Ao VerPortugal diz que "é simultaneamente uma grande honra e uma grande oportunidade poder intervir neste espaço emblemático com esta enormissima história. Estamos certos que este projeto exigirá de nós uma grande responsabilidade pelo que representa, não só para os conimbricenses, como também para os portugueses, e em especial para os pequenitos”.

 

O júri do concurso de ideias de arquitetura para o novo edifício de receção do Portugal dos Pequenitos, constituído por representantes da Fundação Bissaya Barreto, da Câmara Municipal de Coimbra, do Turismo do Centro de Portugal, da Direção Regional de Cultura do Centro, da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Coimbra e da Consultal, elegeu de forma consensual a proposta apresentada pelo atelier Subvert Studio.

 

Os critérios subjacentes à escolha foram: o valor icónico e filosófico – criatividade e diferenciação; o valor funcional – articulação entre os requisitos operacionais do edifício, a envolvente e o parque; a solução construtiva; a exequibilidade da solução proposta tendo em conta o custo.

 

O edifício da receção é a primeira fase do projeto de expansão do Portugal dos Pequenitos, que inclui a construção de novos edifícios representativos do Portugal contemporâneo, novos recursos pedagógicos e uma remodelação ao nível de todo o parque, sobretudo ao nível de novas abordagens e conteúdos identitários da cultura de cada uma das regiões e países nele representado.

noticias RELACIONADOS
PUBLICIDADE