Architectural (dis)order

Categorias: Unifamiliar

Dentro de uma caixa branca, três objetos amarelos de diferentes configurações são colocados individualmente.

 

Como consequência imediata, a experiência física do espaço anteriormente vazio altera-se dramaticamente. A percepção do movimento do individuo, dos limites da caixa e da posição dos objetos amarelos está agora inevitavelmente entrelaçada. O significado dos objectos, no entanto, permanece difuso. Quando contemplados demoradamente, as suas formas podem assemelhar-se a uma abstracção dos elementos arquitectónicos clássicos: uma arquitrave, uma coluna caída e um podium, dispostos separadamente como um puzzle que apenas é revelado quando os objectos são mentalmente colocados juntos, evocando a experiência de uma (possível) peça escultórica que se relaciona com o espaço de uma sala de museu. Ou talvez, esses objetos amarelos tenham apenas valor objectual, como (possíveis) peças de mobiliário, produzidas para armazenar outros objetos menores, tanto no seu interior como em cima.

 

Nesse cenário, a sua colocação no espaço pode ser justificável simplesmente como uma tentativa ingénua de criar algum tipo de hierarquia espacial num apartamento sem paredes, marcando e definindo diferentes áreas de acordo com um uso doméstico específico: um hall de entrada, uma sala de estar e um quarto com vista panorâmica. Nunca é verdadeiramente claro qual dessas possibilidades pode ser verdadeira, ou, se é que alguma de facto é.

TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Projeto

Architectural (dis)order

 

Localização
Vilamoura . Portugal

 

Tipologia:

Reabilitação de Apartamento

Arquitectura
Corpo Atelier (www.corpoatelier.com)
Equipa
Filipe Paixão
Rui Martins
Susana Café
Constructor
Window to the Future (www.wtfc.pt)
Data
2018
Fotografia
Alexander Bogorodskiy (www.photoshoot.pt)
Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

𝗣𝗼𝗿𝘁𝘂𝗴𝗮𝗹 𝗖𝗢𝗻𝗩𝗜𝗗𝗮 𝗧𝗼𝗱𝗼𝘀

Uma ação informal por um bom motivo

Registe a sua Empresa

Crie a sua conta gratuitamente e promova os produtos da sua empresa.