Casa da Costa

Casa da Costa – Mais do que um projecto, um desafio à resistência

Em 2017 desenhamos a primeira linha, ainda tímida, em forma de rabisco para lançar a discussão. A tela não estava em branco, existia uma pré-existência que era preciso respeitar e que se pretendia preservar da melhor forma possível.
A localização, histórica e carregada de histórias, que se  faziam sentir pelo badalar do sino da igreja que se vislumbrava por entre o arvoredo a Sul, e que se traduzia nos passos de quem ruma, muitas vezes em silêncio, em direcção a Santiago de Compostela, era o ponto de partida para uma intervenção de respeito pela memória.

A casa era bonita e estava bem acompanhada. Faltava-lhe vida!  Abandonada em tempos pela falta da mesma de quem lá muitas histórias teria para contar.

O desafio deste projecto era criar uma Guest House híbrida que fosse capaz de responder a um programa de alojamento temporário e ao mesmo tempo não comprometesse uma futura utilização do espaço como habitação de forma permanente. Não podia ser só uma guest house, tinha de ser também uma casa. O programa estava definido á partida.
Quatro quartos servidos de casa de banho privada que coabitava o mesmo espaço de forma a tornar tudo mais amplo e luminoso.

Era um risco assumido que faria parte da intimidade sem causar mossa. Um sanitário de serviço e espaços de arrumos no piso de entrada completavam a cozinha e a sala comum de acesso ao pátio exterior.
Esta era a parte fácil. A parte difícil era manter a alma do lugar com as opções que se tomavam.
Reaproveitamos as asnas e a caixilharia da fachada principal, em bom estado de conservação e aplicamos o granito das demolições da compartimentação interior, pouco que a casa era modesta, na pavimentação do pátio exterior. Ainda assim ficamos só com as melhores….

Acrescentamos madeira! Refizemos os pisos, e completamos a cobertura dando conforto ao miolo.
A distribuição interior estava estudada e foi executada conforme planeada. Não havia margem para erros. O orçamento era curto e estava todo destinado.

Para o jardim, tranquilo e quente de verão, pensamos num tanque com água para refrescar quem por lá se quiser sentar e cactos para contrariar. O jardim teria de ser autossustentável. A sua manutenção não fazia parte da equação.
A Ana e a Natacha, que fizeram da minha a obra delas e que completavam as decisões não me deixando sem rumo, diziam muitas vezes que bom que seria servir umas amêijoas carregadas de coentros e beber um copo de vinho no jardim assim que a obra se finasse. Na verdade, a obra está concluída e as amêijoas essas, acompanharam muito bem o vinho escolhido…

LINKS
FICHA TÉCNICA

Projecto

Casa da Costa

 

Localização

Vila do Conde, Portugal

 

Arquitectura

Hugo Monte, arquitecto

 

Colaboração

Ana Prudente, Natacha Moreira

 

Fotografia

José Pedro Costa

 

Ano

2020

Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Webinars Leca®

Inscreva-se!