Casa do Campo Lindo

O projeto do Largo do Campo Lindo teve como objetivo a reabilitação de um edifício há várias décadas usado como habitação multifamiliar e comércio e a sua reconversão numa moradia unifamiliar.

Implantado no extremo Norte do largo, o edifício desenvolve-se de gaveto com a rua da Igreja de Paranhos, o que lhe confere uma imagem urbana pouco comum na moradia burguesa do Porto.

 Apesar do avançado estado de degradação e adulteração, a casa mantinha muitas das características da construção original de meados do Séc. XIX, paredes resistentes em alvenaria de granito com pisos sobre estrutura de madeira, tetos em estuque e soalhos de riga.

 Fruto do uso tanto no R/C (comércio) como nos pisos superiores (divisão em quartos para estudantes) os espaços e detalhes construtivos foram sofrendo intervenções que transformaram irremediavelmente o caráter da preexistência.

 Assim a intenção de converter o edifício numa moradia unifamiliar obrigou a uma restruturação absoluta do espaço que culminou numa nova compartimentação, marcação da entrada e localização dos acessos verticais. O resultado assume-se como uma reinterpretação das soluções construtivas e espaciais da época, mais do que uma reconstrução do existente.

 O novo programa organiza os espaços sociais (escritório, sala e cozinha) ao nível piso térreo e quartos no primeiro piso e espaço das crianças no desvão cobertura.

 O gesto mais agressivo de todo o projeto concretizou-se na criação da garagem (Norte) que implicou no desaterro de um patamar que originalmente fazia a ligação exterior entre o piso térreo e ao primeiro andar. Este desaterro possibilitou como consequência o aumento de um pequeno pátio existente e a sua conversão num logradouro que articula a casa e a garagem.

 Todos os detalhes de acabamento, materiais, pormenores de carpintaria, assim como as soluções estruturais e construtivas são reinterpretações das soluções originais ainda visíveis aquando do levantamento.

 A proposta assume-se como uma resposta pragmática às exigências do programa, onde a preexistência serviu de guia a um diálogo entre os distintos espaços temporais: passado e presente. Assente no princípio simples, re-habitar respeitando o caráter e conceito do edifício.

Pretendeu-se que a nossa passagem pelo edifício se diluísse entre todas as intervenções das quais já foi alvo, abandonando assumidamente a pretensão de afirmação autoral pelo desenho.

TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Projeto
Casa do Campo Lindo

Localização
Porto, Portugal

Cliente
Privado

Arquitetura
PFArchStudio

Arquiteto Responsável
Pedro Vasco Ferreira

Engenharia
ASL&Associados, Lda

Construcão
HomeReab, Lda

Interiores
Rute Moreda

Ano 2016/2019

Fotografia
João Morgado

FOTOGRAFADO POR
Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Vulcano

O parceiro certo para um apoio total

BMI Portugal

Garantimos soluções eficientes para coberturas