Casa na Rua de São Marcos

Casa na Rua de São Marcos – No momento de intervir num edifício existente, surge sempre a confrontação entre o antigo e o novo.

Um edifício do séc. XIX, situado no Centro Histórico de Braga, Rua de São Marcos, é a estrutura preliminar a partir da qual se produz este projecto, que quer pôr em evidência as qualidades do existente. Através de uma análise cuidada das características do edifício, em paralelo com aquilo que são os objectivos do novo programa, procura-se uma solução que crie um todo coerente e harmonioso.

As qualidades do existente

Ao analisar o edifício existente, nota-se uma das qualidades mais comuns em edifícios com estas características tipológicas: a sua flexibilidade. Esta flexibilidade é facilmente constatada na forma como o edifício foi sendo dividido e ocupado ao longo do tempo mantendo, no entanto, a sua forma e estrutura inalterada.

A flexibilidade do edifício acontece pela forma como se organiza. Podemos identificar um núcleo central de distribuição que dá acesso a duas zonas, que se relacionam com as duas fachadas. A dimensão generosa destes zonas, em que não se define um determinado uso ou tipo de espaço, permite que os mesmos possam funcionar como um todo ou de forma isolada.

Programa

O projecto responde à intenção de parcelar os pisos 2 e 3 em duas habitações, mantendo, no entanto, a caixa de escadas central de distribuição existente inalterada. Para tal é proposta a adição de um dispositivo divisor do espaço.

Este dispositivo mantém e evidencia as qualidades já presentes na caixa de escadas, nomeadamente no que diz respeito à iluminação e venti- lação naturais, à sua função de espaço de distribuição e núcleo agregador de todo o edifício.

Através da adição deste dispositivo, feita de forma precisa, é possível por um lado, potenciar as qualidades da caixa de escadas existentes e, por outro, dotar este espaço de novas qualidades, nomeadamente enquanto elemento de entrada e separação para uma das habitações. A estrutura é executada em esqueleto de madeira e preenchida a painéis translúcidos de policarbonato, permitindo assim que este espaço central e aglutinador do edifício continue dotado de luz e ventilação naturais, garantindo a privacidade para a habitação.

A divisão dos dois pisos dá origem a dois apartamentos: um estúdio e um T2. O estúdio beneficia da área generosa que a zona entre a caixa de escadas e a fachada de tardoz possui. O apartamento T2 desenvolve-
se em dois pisos. No segundo piso, tira-se partido do pé-direito com uma altura igualmente generosa, resultante da inclinação da cobertura. Na zona de estar é criado um núcleo funcional que permite a criação de um espaço de estar em mezanino.

Outra das intenções do projecto passa por conservar sempre que possível os pavimentos, as caixilharias em madeira ou os elementos deco- rativos presentes na clarabóia ou tectos.

Metamorfose

A confrontação que existe entre o antigo e o novo, as novas neces- sidades trazidas pelo programa e a intenção de manter as qualidades do existente, tornam-se os três eixos a que o projecto deu resposta.

Partindo do existente e das suas qualidades, trabalhando com elas e potenciando-as para assim alcançar uma metamorfose que responda aos desafios contemporâneos, é o princípio orientador de todo o projecto.

TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Projeto
Casa na Rua de São Marcos

Localização
Braga, Portugal

Cliente
Privado

Arquitetura
António Pedro Faria

Arquiteto Responsável
António Pedro Faria

Construção
AOF–Augusto Oliveira Ferreira

Fotografias
Tiago Casanova

Área bruta construída
185,59 m2

Ano de conclusão do projeto
2020

PDFS
Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Free live webinar

V-Ray for Rhino

Webinars Leca®

Inscreva-se!