Centro de Investigação e Empreendedorismo de Ílhavo

Categorias: Educação

A necessidade de instalar uma estrutura de apoio ao Museu Marítimo levou a Câmara Municipal a programar a reutilização de uma antiga escola abandonada e degradada, construída nos anos 60, com 2 alas rectangulares, longitudinais, paralelas, de planta em H com um pequeno corpo central de ligação; a ala adjacente à rua é de volumetria variada (alturas de 1 e 2 pisos) e a ala interior é de volumetria regular e mais alta (altura de 3 pisos).

Esta pré-determinação formal (2 corpos paralelos separados) como ideia, guiou todo o desenho do novo conjunto. A ideia arquitectónica motivou assim a matriz do projecto numa lógica sequencial – o edifício no seu conjunto é intersectado pelo espaço exterior do pátio central, como se fosse um único pátio, representando-se como um espaço de libertação entre os dois corpos. Esta continuidade espacial, potencia a tornar o pátio num importante “living space” exterior, como lugar de encontro dos vários habitantes ou visitantes do Centro. Assim um espaço de entrada mais estreito e transparente, engloba o hall de chegada e a recepção, liga e separa os corpos paralelos. A elementaridade do esquema formal não é perturbada, senão pela expressão de cada volume – distinta nos revestimentos e linguagem – pondo em evidência a tensão entre ambos, na relação mais do que na diferença.

Partindo da modulação estrutural preexistente propõe-se uma re-significação do novo Edifício simbolizado pela integração de diferentes formas geométricas, desornamentadas dos “resíduos” ou saliências ruidosas no conjunto, e devolvendo um sentido à essência das formas. A sobriedade pretendida acabou por favorecer uma recriação de composição volumétrica de restritas linearidades e que se transcreve nas determinantes tectónicas dos edifícios. A exigência do rigor e a necessidade de representação simbólica implicou particulares opções do ponto de vista do tratamento das fachadas, sobretudo ao nível das paredes e vãos do corpo da “rua” que são parcialmente realizadas em ripado de madeira. A presença do ripado de madeira remete duplamente para duas imagens:- a do apuramento construtivo dos barcos e a da tradição ilhavense na arquitectura popular, como exemplo nas antigas construções existentes na Costa Nova. 

A ideia é que a proposta supere este modelo teórico/cultural subjacente para evidenciar uma condição sensitiva e que o novo edifício atinja uma nova expressão de sensualidade e textura contemporâneas.
TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Projeto

Centro de Investigação e Empreendedorismo de Ílhavo

Localização

Ílhavo

Cliente

Município de Ilhavo

Arquitetura

pontocomum . arquitectura e design

Ano
2010-2012

Fotografias

pontocomum . arquitectura e design

Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Vulcano

O parceiro certo para um apoio total

BMI Portugal

Garantimos soluções eficientes para coberturas