Complexo Tecnológico e Empresarial do Porto

Categorias: Escritórios

Da autoria da APEL, o edifício que se apresenta foi o primeiro empreendimento a ser concretizado na “Área Empresarial do Porto”, requalificando parte significativa de um quarteirão deste pólo da cidade. Anteriormente conhecida por “Zona Industrial do Porto”, esta área foi dotada, através de um novo P.D.M., dos mecanismos que permitissem a sua requalificação urbana, para torná-lo num atractivo pólo empresarial e tecnológico.

Desenvolvendo-se em dez pisos, dois quais quatro abaixo do solo e seis acima do solo, o edifício concentra num único espaço as actividades de logística, de distribuição, de formação, de museologia, bem como de centros de desenvolvimento e investigação de diversas empresas do grupo Associação Nacional de Farmácias, funções que se coadunam com o espírito contemplado no Plano Director Municipal, permitindo a empresas destas áreas, criar e desenvolver a sua actividade.

Nos pisos acima do solo, entre outras encontramos o Museu da Farmácia (r/c), um Auditório de 284 lugares com salas de apoio (1o andar), uma Escola de Pós-graduação em Saúde e várias empresas com forte ligação às tecnologias de ponta. É de notar a complexidade construtiva do auditório, cujo corpo balançado sobre a entrada marca a imagem arquitectónica da fachada principal do edifício, não interferindo com o espaço público.

O edifício distingue-se também pelo elevado grau de eficiência energética, garantindo aos seus utilizadores um excelente nível de conforto e equipamento. As preocupações com o consumo energético do edifício reflectiram-se não só no estudo da composição das paredes exteriores e coberturas (isolamento térmico sem pontes térmicas, caixilharia com ruptura térmica, vidro com factor solar), como na escolha dos equipamentos a instalar. 
Dentro destes princípios, foi implementado um complexo sistema de gestão técnica centralizada, que permite gerir e monitorizar os diversos equipamentos de climatização, iluminação natural e artificial, informática e segurança.
As lâminas sombreadoras, que se encontram nas fachadas principal e laterais, são disso exemplo. O sistema de gestão controla a abertura das lâminas, conforme o ângulo de incidência solar, em cada dia do ano, permitindo o controlo energético e luminoso, no interior do edifício.
TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Ano de Conclusão
2010

Local
Rua Eng.o Ferreira Dias – Porto

Promotor

INTERFUNDOS – Gestor de Fundos de Investimento, S.A.

Quadro de Áreas


Área do Terreno
13,659 m2

Área Bruta de Construção
48,600 m2

Área de Construção Abaixo do Solo
36,200 m2 (4 pisos)

Área de Construção Acima do Solo
12,400 m2 (6 pisos)

Fotografia

João Morgado

Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Goma by Flowco

Azulejos ecológicos fabricados em Portugal