Estrela 53

Categorias: Apartamentos

Estrela 53, nasce da vontade empreendedora de requalificar e reabilitar mais um “pedaço” de Lisboa.
Localizado junto a uma das 6 portas do emblemático Jardim da Estrela, este edifício foi desenhado e recriado a partir de um imóvel em ruina total, mantendo, no entanto, as características major iniciais da fachada. Tornou-se possível, suster a mesma fachada e redefinir um “novo” edifício, composto por três apartamentos duplexes que trabalham em “tetris” entre eles.

 

Esta vontade de encaixe norteou a transformação deste edifício que ficou inteiramente renovado. Foi mantida a sua inserção num meio urbano recheado de apontamento ajardinados, pertencentes aos edifícios circundantes e ao referido Jardim da Estrela. O toque do sino da Basílica da Estrela confunde-se, frequentemente, com o chilreio dos pássaros, as gargalhadas das crianças e o som do vento que roça nas ramagens das muitas árvores seculares por aí existentes.
Os interiores dos apartamentos foram desenhados de forma a ganharem outras formas de viver, como se de moradias se tratassem, com todo o conforto e ambiente de “casa”.

 

A seleção dos materiais usados recaiu em criações nacionais. Das madeiras às pedras naturais, passando pelos equipamentos, tudo foi produzido ou modificado a partir de produtos portugueses.

 

No final, este projeto resultou de forma muito satisfatória na procura de esclarecer Lisboa numa só linguagem: torna-la um local excecional para viver e visitar.

TAGS
FICHA TÉCNICA

Projeto
Estrela 53

Localização
Lisboa

Cliente
WCI, Lda

Arquitetura
Metro Urbe, co-autoria Ricardo Ramos, arq.

Autores
Hélder Cordeiro, João Pedras, Ricardo Ramos

Arquiteto Responsável
Hélder Cordeiro

Estrutura
Engº Luis Marques

Fiscalização
Eduardo Abreu

Construção
Constructora San José

Materiais utilizados
1. Bruma – Torneiras
2. Sanindusa – Sanitários
3. SDD – Carpintaria

Fotografias
© do mal o menos

Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Armstrong

Soluções que funcionam

Dekton by Cosentino

Projetos sem limites