Igreja S. Tiago de Antas

Categorias: Religiosos

A igreja de S. Tiago de Antas, está construída num local privilegiado com vistas sobre a paisagem natural e o centro da cidade local. O espaço integra-se lado a lado e de forma harmoniosa com o passado, o que lhe imprime um carácter distinto e de referência para a comunidade, especialmente para todos os que cultivam a fé.

Para a elaboração da proposta procedeu-se ao estudo da localização dos espaços e da integração do edifício no local de intervenção. Não se limitou ao estudo de uma simples implantação organizada no campo mas também um estudo intenso da história e das actividades religiosas associadas ao lugar.
A implantação funciona como um elemento aglutinador dos espaços existentes na envolvente, como a igreja românica (classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1958), a casa mortuária e o cemitério.

 A planta da igreja é simples, sem monumentalidade assinalável, e a volumetria foi estudada com o objectivo de não causar impacto visual na paisagem.
O volume desenvolve-se em dois pisos, separando de forma clara o espaço sagrado e os demais espaços para funções culturais e de formação para crianças e jovens. No piso principal, o piso 0, desenvolve-se o espaço destinado às celebrações, com capacidade para mais de 500 pessoas. Nas costas do altar estão localizados todos os pontos relativos ao pároco e ao sacristão. No piso inferior, piso -1, estão localizados 5 espaços destinados à catequese, sendo que um deles tem capacidade para acomodar cerca de 200 pessoas, podendo ser utlizado para espectáculos ou palestras.

O projecto incorpora uma vasta carga simbólica, uma vez que, estão presentes vários elementos litúrgicos de forma a criar uma narrativa.
A forma elíptica da igreja surge a partir do cálice e cruz de paixão, e os anéis que contornam o templo simbolizam a coroa de espinhos, instrumento de tortura utilizado pelos romanos durante a crucificação de Jesus.
No chão, de madeira, percorrem duas linhas em mármore que ligam o exterior do edifício ao altar. Uma das linhas representa o rio Jordão, local de baptismos de cristo, que liga o exterior da igreja à pia baptismal e depois ao retábulo mor. A outra representa o sangue vindo da espada de S. Tiago, e liga desde o exterior até ao púlpito onde são feitas as leituras dos textos sagrados.

O volume materializa a sua forma através das paredes exteriores em betão praticamente sem aberturas, que lhe incorpora uma imagem misteriosa e austera, apesar dos arcos suspensos que a compõem. Por outro lado, as paredes interiores brancas da nave são iluminadas por uma luz difusa, criada por clarabóias ocultas que transmitem ao local uma atmosfera serena e poética que evoca à oração e à reflexão. A iluminação desempenha um papel importante na intervenção. Durante a noite existe um cuidadoso e articulado efeito luminoso, tanto no interior como no exterior, que foi trabalhado com o objectivo de enfatizar a igreja.

No interior, os únicos ornamentos presentes estão no retábulo do altar, este é constituído por dois painéis que foram construídos em cerâmica e decorados com folhas de ouro e prata, com imagens de S. Tiago e de Nossa Senhora da Conceição. O mobiliário em madeira presente, foi desenhado pela equipa, especialmente para este projecto.

A simplicidade do espaço e da linguagem arquitectónica presente no projecto tem como objectivo a criação de um espaço em que os protagonistas sejam, essencialmente, as pessoas e os acontecimentos.

TAGS
FICHA TÉCNICA
Projeto
Igreja S. Tiago de Antas

Localização

Vila Nova de Famalicão, Portugal

Arquitetura
Hugo Correia

Ano
2016

Tipo de projeto
Religioso

Status
Construído

Estrutura
Betão Armado

Implantação no terreno
Isolado

Fotografias

João Morgado

Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Registe a sua Empresa

Crie a sua conta gratuitamente e promova os produtos da sua empresa.