Maison 826

O projecto Maison 826, para o hairstylist Pedro Remy, está inserido ao nível térreo de um prédio dos anos 70 no centro urbano da cidade de Braga, em Portugal, numa loja com 250 m2 de área total.

Este espaço encontrava-se fechado há alguns anos e apresentava-se com sobreposições de intervenções, de memórias e de histórias. Cada parede uma história, cada janela uma passagem. Um lugar com muitos espaços. Cada espaço embrulhado em materiais e texturas sucessivamente interrompidas por outras, encontrando-se pontualmente elementos estruturais em betão despidos de revestimento. Uma complexa composição de excessos de materiais e de vazios de materiais.Com a remoção destas camadas, foi possível perceber que a composição dos seus quatros grandes espaços semi-encerrados estavam ligados visualmente mas em níveis diferentes.

O conceito arquitectónico para o espaço Maison 826 surge com a interrupção da demolição no ponto onde os fragmentos desse passado poderiam coabitar com o novo programa que se pretendia implantar. O programa de cabeleireiro, de espaço cultural e musical e de concept-store, com uma entrada comum poderiam agora ocupar cada um dos espaços e criar relações espaciais e visuais entre eles, onde intervenções pontuais em cada espaço permitiriam ainda perceber o ponto de demolição.

O projecto Maison 826 divide-se em quatro níveis abertos entre si.

No primeiro nível, uma cota intermédia, um bloco suspenso em madeira apresenta-se como entrada e como para balcão de atendimento e, visualmente, orienta o utilizador para outros dois níveis.

Um nível em cave, um espaço de dinâmica cultural e de concertos, e um outro nível intermédio um pouco mais acima, para a área de trabalho e tratamento de cabelo, ocupado centralmente por uma mesa de trabalho em madeira com 5 metros de comprimento. Este espaço apresenta ainda uma zona de lavagem e pintura, mais recolhida para maior privacidade. Este nível intermédio leva-nos a ao quarto nível, uma área destinada à concept store OGQMOCA com uma pequena área de provador.

Um elogio ao inacabado, pareceu-nos ser um conceito que poderia ser um novo ciclo de vida deste espaço não há lugar à preocupação aos pormenores ou aos detalhes, perdidos pelos inacabados onde se julga faltar por regra.

São materiais económicos, pilares ou vigas de betão aparente e soluções de paredes por terminar que definem agora a intervenção e cada um dos espaços acrescentrou-se com uma cortina opaca que define os seus limites e permite o encerramento entre si. Este um elemento cénico comum, de grande flexibilidade, ajuda a definir outras espaçialidades e outros luminosidades conforme a utilização pretendida.

Architecture Masterprize Winner 2020

TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Projeto
Maison 826

Localização
Braga

Cliente
Pedro Remy

Arquitetura
Nuno Capa | Arquitecto

Fotografias
João Morgado

Área
250m2

Ano
2020

 

 

FOTOGRAFADO POR
Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Webinars Leca®

Inscreva-se!