Marmelo Mill

Categorias: Indústria

O projecto do Lagar de Azeite Oliveira da Serra não corresponde apenas à necessidade do Grupo em construir um lagar para a sua grande produção de azeite mas, fundamentalmente, usar essa construção para de algum modo produzir um Statement. Ou seja, afirmar a preocupação, alias já existente na marca, em fazer a indústria e a economia seguir a par com as preocupações de paisagem e de atitude contemporânea. Mais qualidade, melhor design, mais responsabilidade face à Paisagem.

Não falamos apenas em paisagem rural que envolve o edifício, mas sim na Paisagem global, ou seja certos de que todo o lugar é Paisagem.  É assim quando investe numa imagem contemporânea para os seus produtos, quando investiga um sistema de remate para as garrafas que garante não só mais precisão e eficácia como funde num só gesto passado e futuro, é assim quando convida artistas de diversas áreas a interpretar o universo do azeite, contribuindo deste modo para uma cultura universalmente local ou localmente universal.
Por isso este edifício procura também responder a esses desígnios, revelando máxima eficácia ao mesmo tempo que remete para uma leitura de paisagem sem tempo. Assumindo o confronto entre elemento construído e paisagem natural (o homem e a natureza), o edifício surge “no meio” da plantação que lhe confere sentido – as oliveiras – e estende-se entre a paisagem como um volume abstracto e branco próximo do nosso imaginário.
No entanto a leveza e consequente delicadeza do desenho, faz com que o edifício aparente um sentido de levitação, mercê das generosas consolas que lança em cada um dos seus extremos. Por outro lado, a marca territorial assumida por este edifício, não se limita a existir durante o dia, mas tal como os períodos de colheita da azeitona, o edifício revela-se à distância durante as 24 horas do dia.
À Noite, as suas consolas ganham luz/cor permitindo intuir o seu valioso recheio, e mais uma vez marcando aquela paisagem.

TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Arquitetos

Bak Gordon Arquitectos

Ano

2010

 

Área construída

5560 m²

 

Tipo de projeto

Industrial

 

Equipe

 

Arquitetos

Bak Gordon Arquitectos (Ricardo Bak Gordon)

 

Colaboradores

Luís Pedro Pinto, Nuno Velhinho, Pedro Serrazina, Sónia Silva, Vera Higino, Walter Perdigão

 

Informação Complementar

 

Construtora

Construsan

 

Cliente

Elaia Lagar

 

 

 

FOTOGRAFADO POR
Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Workshop . Lisboa

Como Vender o Que Não Se Vê

Isopan

Apresentamos a Esquadria Perfeita