Moradia Marques da Silva

Moradia Marques da Silva – Construído no século XX, este edifício foi projectado como parte de uma importante intervenção urbana na cidade do Porto, a abertura de uma nova rua – Rua Álvares de Cabral. O edifício foi pensado como parte de um todo, que se queria uniforme e austero, algo que se encontra evidente na sua fachada principal. Tendo em conta estas características, a nossa intervenção foi delineada com base no respeito pela estrutura e geometria originais do edifício.

Por um lado, o projecto focou-se no restauro dos elementos de maior qualidade construtiva e histórica, como os tectos trabalhos em estuque, as caixilharias de madeira e os murais encontrados no hall. E por outro, na introdução de alterações pontuais, como o redesenho da claraboia central, a adição de um elevador, a construção da piscina e a infraestruturação dos espaços interiores adequando-os às necessidades da actualidade. Acima de tudo, procurámos que a intervenção fosse coesa e não invasiva em relação ao edifício original, sem esquecer de o dotar de níveis elevados de conforto e eficiência. Nesse sentido, os materiais escolhidos foram cuidadosamente selecionados, de forma a complementar os detalhes originais, procurando respeitar o passado da construção e trazer-lhe uma nova vida.

Quanto à disposição espacial da moradia é importante mencionar que esta é composta por quatro pisos e que o acesso principal é feito através da Rua Álvares de Cabral, por uma porta existente que nos conduz ao hall de entrada e posteriormente às escadas. De referir que se manteve a centralidade do vão de escada, uma vez que a sua posição é chave na distribuição e orientação dos espaços interiores (sul-escadas-norte).

No primeiro andar conservaram-se os espaços amplos típicos desta tipologia de moradia. A sala a sul foi convertida numa sala de visitas e escritório, enquanto que a sala a norte, junto à cozinha, manteve a sua função original como sala de estar e jantar. Desde o espaço até aos pormenores, pretendeu-se dar enfase ao passado do edifício, restaurando os elementos mais relevantes.

Ao invés, o piso térreo é um espaço completamente renovado, acessível por um vão de escadas novo. Neste piso encontra-se a sala de música e uma passagem directa para o jardim a tardoz.

O segundo piso é composto por duas suites, posicionados uma de cada lado das escadas. Foi importante manter a posição original destes espaços, visto que apresentavam tectos trabalhados em estuque de elevada qualidade estética, os quais foram cuidadosamente restaurados.

No último piso encontramos três quartos, um deles iluminado e ventilado pela introdução de uma nova claraboia. Como já foi mencionadao anteriormente, também a escadaria principal é encimada por uma claraboia, a qual foi totalmente redesenhada, de forma a dotar o espaço de luz e cor, através de um desenho de inspiração tradicional.

De forma geral, este projecto de reabilitação procurou focar-se não só na complementariedade dos elementos existentes, como também, na adaptação dos interiores procurando criar espaços mais confortáveis, luminosos e eficientes.

TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Projeto

Casa Marques da Silva

 

Localização

Rua de Álvares Cabral, Porto, Portugal

 

Arquitectura

Franca Arquitectura

 

Arquitecta responsável

Arq. Ana da Franca

 

Colaboradores

Arq. Guilherme Gil, Arq. Inês Pinheiro Torres, Arq. Joana Menezes, Louise Midy

 

Cliente

Felpromo Imobiliária

 

Construtor

Campelo & Filhos, lda

Decmodil – Decoração de Interiores, lda

Revivis – Reabilitação, Restauro e Construção, lda

 

Engenharia

ASPP – Engenheiros; Sousa Marques, Engenharia

Sousa Marques, Engenharia

 

Fotografia

 Pedro Bruschy

 

Ano Projeto

2014-2016

 

Ano Construção

2016-2021

Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Subscrever Newsletter

Já subscreveu a nossa newsletter?  

World Architecture Festival 2022

Take a ticket here »