Praça Fonte Nova

Categorias: Paisagista

Até à primeira metade do século vinte, a área onde se situava o parque de estacionamento Fonte Nova era uma zona rural de quintas de produção agrícola. Os terrenos eram férteis, devido à proximidade da Ribeira de Alcântara e a água era abundante. A presença de água e de fontes conferiu o nome ao local. Esta área era atravessada pela Estrada de Benfica, um eixo de grande importância na relação de Lisboa. Na década de sessenta do século vinte, com a construção da Segunda Circular de Lisboa e do viaduto sobre a Estrada de Benfica, esta zona sofreu uma profunda alteração.

 

As quintas foram destruídas, os eixos viários e pedonais existentes foram interrompidos, e a área foi sucessivamente ocupada por um parque de estacionamento informal que acabou por cobrir toda a sua extensão. Esta situação provisória manteve-se por quase cinquenta anos. Em 2015 a Câmara Municipal de Lisboa lançou o programa “Uma Praça em Cada Bairro” procurando melhorar o espaço público em vários bairros da cidade. Definiu-se uma área de intervenção de 3,5 hectares. Como estratégia criou-se uma grande superfície de pavimento que procura restabelecer uma unidade que foi fragmentada com a construção do viaduto.

 

Verificou-se a oportunidade de reduzir a área de estacionamento em cerca de 50% em benefício da mobilidade pedonal e de espaços de estadia. A construção da praça tira partido do coberto arbóreo existente de Tipuanas-tipu, conservando, mantendo e dignificando todos os exemplares e plantando novos, de modo a produzir um ambiente qualificado pelas sombras das árvores.

Todo o pavimento da praça é em betão. No seu interior criam-se zonas de estadia e lazer em pontos específicos através de” ilhas” que pontuam o espaço. Estas “ilhas” contêm programas de caráter específico que apoiam as áreas de estadia: quiosques com esplanadas, uma fonte, um parque infantil e um parque canino e jardins. As “ilhas” são delimitadas por bancos contínuos em todo o seu perímetro.
Os bancos de troços retos e curvos são pré-fabricados e definidos por 4 módulos distintos, um módulo reto de comprimento, um módulo curvo e dois módulos de bancos individuais com 2 inclinações de costas distintas.
A área da praça sob o viaduto, iluminada durante a noite, permite uma utilização durante 24 horas por dia para diferentes atividades ao abrigo do sol e da chuva. Pretende-se que a praça e o espaço público permitam uma apreensão fácil para todas as idades e que os seus materiais sejam resistentes e de fácil manutenção. Procura-se um ambiente informal, um usufruto ativo ou contemplativo. Utilizam-se materiais genéricos da cidade, adequados a cada situação. Foi possível a reutilização de pavimentos em calçada de vidraço existentes na zona nos anos sessenta.
Redefiniram-se os perfis de via e de passeio. Sistematizou-se o troço da rede de transporte público, em expansão e ordenou-se o transito em transporte individual. Procedeu-se a um alargamento dos passeios, garantindo-se mais segurança e conforto para o peão e uma mobilidade universal. Integrou-se uma pista ciclável que articula com a rede a norte a sul da praça possibilitando a mobilidade suave de carácter lúdico e funcional.
Para a iluminação durante os períodos noturnos, foi instalado um novo sistema de iluminação pública, em LED, que direciona a luz para o pavimento com uma tonalidade quente e para a copa das árvores com uma tonalidade fria.
TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Projeto

Praça Fonte Nova

 

Localização 
Alameda Manuel Ricardo Espírito Santo, 1500-501 Lisboa, Portugal

 

Arquitetos
José Adrião
Arquiteto Responsável
José Adrião
Chefe de Projeto
João Albuquerque Matos
Equipa
Ana Grácio, Ana Santos, Carla Gonçalves, Carolina Calmon, Gonçalo Ponces, Margarida Farinha, Ricardo Aboim Inglez, Tiago Mota, Tomás Forjaz
Arquitetura Paisagista 
NPK

 

Tráfego
Caetano Gomes
Especialidades
Pensamento Sustentável

 

Empreiteiro
Tecnovia

 

Área
35000.0 m2
Ano do projeto
2015

 

Ano de conclusão
2017

 

Fotografias
Fernando Guerra | FG+SG, Hugo Santos Silva

 

Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Workshop . Porto

Como Vender o Que Não Se Vê

Workshop . Lisboa

Como Vender o Que Não Se Vê