Q S T h o u s e

A Q S T h o u s e, pousada à margem da rua, habita a solidão do norte. Ergue-se de largos blocos de alvenaria de granito azul num ermo, como uma fortificação.

Os dois pisos de habitação fundem-se com os muros de suporte. Sustentam na retaguarda a antiga propriedade agrícola transformada em jardim. O vulto encalhado na berma abre tímidas janelas no piso mais elevado.

Na base uma sequência de frestas que vertiam luz para gado, iluminam a atual cozinha. A construção estira-se até ao portão sangue de boi a apontar o depósito da eira moldado no granito do muro de rua. Sobre o terreiro de entrada, a descobrir o nascente, alçamos um quarto para o dono, construído em madeira pintada à cor de portão e das carpintarias. Ao edificado suprimiram-se as juntas de cimento caiadas, o reboco areado, os telheiros, as portadas verdes aplicadas no alçado e adornos avulsos. Configuramos o quinteiro em muros de granito irregular e calçada portuguesa do mesmo.

No jardim uma sementeira de gramíneas cobre o sítio que o dono recortou com colossais lajes de granito. No interior redesenhamos toda e cada peça construtiva, reinventou-se a realidade despojada e sem cor.

TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Projeto
Q S T h o u s e

Localização
Vila Nova de Familicão

Tipo de Projeto
Habitação unifamiliar

Arquitetura
NOARQ – José Carlos Nunes De Oliveira

Colaboradores
 André De Oliveira, Joana LP, Luís Lima.

Construtor
1ª fase  Henrique Cunha, Lda.
2ª fase  Construções Daniel Farinha & Pinheiro Lda;  Socarfam; Gramafam; Tudemmad; Climafama; Autpor; Sérgio Magalhães, Lda

Especialidades
Eng. Marco Cunha

Topografia
António Carlos Saraiva Peixoto

Fotografia
João Morgado

Área de intervenção
4007 m²

Ano
2014-2019

FOTOGRAFADO POR
PDFS
Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Margres Architecture Award

Saber mais »