Restaurante A Barca

Categorias: Restauração

O projecto surgiu mais como um exercício de logística do que de arquitectura. No local já existia um restaurante em funcionamento desde 1994, o qual, pela sua idade e consequente falta de infra-estruturas que respondessem às necessidades actuais, dever-se-ia proceder à sua substituição por um novo edifício. O cliente queria um restaurante com grande capacidade de lotação, uma imagem relacionada com a gastronomia Portuguesa e o mais importante: que fosse construído enquanto o antigo restaurante estivesse a funcionar. Apesar disso o plano foi simples: o antigo restaurante estava localizado na frente no lote em forma de “L” com o espaço de estacionamento nas traseiras; então o novo restaurante foi idealizado invertendo-se a disposição no terreno com o antigo. A nova construção foi executada quase a tocar no edifício existente enquanto este funcionava em pleno, de forma a minimizar as perdas do investimento pendente, e foi, por isso, demolido apenas 2 meses antes da nova construção estar terminada dando origem aos novos espaços verdes e de estacionamento.


Seguindo este layout, o restaurante deveria ter um alçado frontal expressivo que pudesse ser identificável à distância, e sobretudo, deveria reflectir a funcionalidade necessária para albergar mais de 200 pessoas ao mesmo tempo. O edifício foi dividido em 2 pisos, com almoços e jantares no piso térreo e eventos no piso superior. Verticalmente foi também dividido em áreas técnicas à esquerda (cozinhas e armazenagem) e à direita (escritório e armazenagem) deixando o meio para o público.

Surge então imponente através de uma sucessão de volumes sustentados numa arquitectura depurada e de linhas rectas. Um projecto que surgiu de dentro para fora. É um único objecto em termos formais, mas mostra várias nuances. Foi o definir de espaços no desenho que moldou a sua estrutura característica.

O estacionamento aparece na frente do edifício centrado por um longo passadiço de vigas de caminhos-de-ferro em madeira escurecida pelo petróleo usado antigamente para preservar a madeira, encaminhando para a entrada principal em xisto preto e paredes de grandes blocos de granito que recebem as pessoas num cenário místico da força da arquitectura tradicional do Norte de Portugal que está tão intimamente ligada à Gastronomia. Este hall com pé-direito duplo engloba a entrada para a sala principal que se desenvolve em torno de um jardim interior que secciona os 2 pisos. Esta solução significa uma divisão técnica e estética dos espaços tendo em conta a diminuição do ruído, ao mesmo tempo que cria uma atmosfera confortável ao permitir o contacto visual com a natureza, e estruturalmente, traduziu-se na ausência de pilares na enorme área do restaurante. Também permitiu a convergência da água das chuvas para este centro. O interior é enaltecido com soalho de madeira e paredes em blocos de granito.
TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

Arquitectura

Arqu’s – Gabinete de Arquitectura

Local

Barqueiros, Barcelos

Construção

2008-2009

Inauguração

30 Julho 2009

Galeria
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

𝗣𝗼𝗿𝘁𝘂𝗴𝗮𝗹 𝗖𝗢𝗻𝗩𝗜𝗗𝗮 𝗧𝗼𝗱𝗼𝘀

Uma ação informal por um bom motivo

Registe a sua Empresa

Crie a sua conta gratuitamente e promova os produtos da sua empresa.