T. A p a r t m e n t

Um casal comprou uma conhecida penthouse com vista de mar. O célebre edifício de habitação tem quase 30 anos. Emergiu enquanto frequentava a faculdade. Arrebatador à época, permanece uma majestade.

 

Pediram-me para o renovar introduzindo pequenas alterações – “atualizar, basicamente!”
Estremeci! Um temor! Seria um convite à profanação?
Fazer a renovação de uma obra prima?

 

Como se faz a renovação de uma obra prima de um autor no auge da sua atividade?

 

Haverá lugar à reinterpretação de uma obra prima? (…) “ainda que lhes chamem pequenas alterações”?

 

Assomou-me Crime e castigo – heresia ou adoração?

 

Confessei ao autor a inquietação. Habitualmente simpático, após a surpresa, tranquilizou-me e avancei.

 

Fiz a pesquisa com o próprio. Reunimos duas vezes. Compreendi os intocáveis e os suscetíveis da obra, depois libertei-o às suas tarefas.

 

Projeto e obra: Conservámos e restaurámos, mas não só. Não me contive. Não consegui ser absolutamente fiel. Se o fizesse, seria a minha dissolução crítica. O respeito a Eduardo Souto Moura; a admiração profunda da sua obra não me pode radicalizar. Adulterei subtilmente a cozinha, um corrimão, uma pedra de lareira e sacrifiquei a banheira de imersão.

 

 

À margem do visível restauro :

 

  1. Desmontámos e guardámos os corrimãos originais (demasiado robustos!).Repusemos apenas do lado interior, um tubular redondo de latão sem acabamento à espera de envelhecimento.
  2. Na cozinha, recobrimos o azulejo e desmontámos o mobiliário. Sintetizamos o desenho, bem como o revestimento das superfícies sujeitas a maior exigência em Corian, substituindo os revestimentos cerâmicos e de mármore Estremoz. Aumentámos o armário de apoio, integramos os eletrodomésticos. Na área de pequenos almoços desenhámos uma mesa suspensa em chapa de alumínio lacado.
  3. Intervenção semelhante foi realizada na lavandaria.
  4. No Quarto da empregada acrescentámos os armários de arrumo e uma sapateira.
  5. Na Sala retirámos a frente de mármore Estremoz que desenhava a lareira. Apresentava desgaste. Substituímos por uma pedra maciça de Azul Valverde de 5 cm de espessura.
  6. Na parede que divide as salas retirámos a instalação das estantes em vidro e fixamos de topo uma pedra 5cm espessura em Azul Valverde.
  7. Instalámos um extenso o candeeiro tubular em latão no teto da sala de jantar.
  8. Libertámos em grande parte da superfície dos tetos os downlights existentes. Armazenámos os antigos aparelhos de iluminação do autor, atualmente obsoletos.
  9. No quarto de banho de casal eliminámos a banheira, introduzimos uma área de duche nivelada pelo pavimento. Desenhámos armários amovíveis de apoio aos lavatórios dos quartos de banho. Substituímos torneiras.
  10. Integrámos os blackouts nos quartos, bem como o carril das cortinas nos tectos.
  11. Desenhamos peças de mobiliário.
Galeria
TAGS
LINKS
FICHA TÉCNICA

projeto

T. a p a r t m e n t

renovação de interiores

 
localização
Foz do Douro
 
arquitetura
NOARQ – arq. Jose Carlos Nunes Oliveira
colaboradores
arq. Gaia Ferraris;
luz and mobiliário Bloft+NOARQ arq. Juliana Costa
construtores
Arbecor – Alexandre Maia, Martinho Ramos; Ordep Mobiliario – Pedro Andrade; TopMarmi – Romeu Areal, Pedro Teixeira.
 
área de intervenção
375 m2
fotografia
Arménio Teixeira
projetos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

MOON

A única placa de comando em cerâmica.

Vulcano

O parceiro certo para um apoio total