Pavilhão no Jardim de Serralves

Categorias: Building Pictures

‘Incerteza ao vivo: uma exposição após a 32ª Bienal de São Paulo’ é organizada pela Fundação Bienal de São Paulo em colaboração com a Fundação de Serralves, Museu de Arte Contemporânea, Porto, Portugal.

Para a apresentação no parque, o Museu de Serralves encomendou cinco ateliers de arquitectura do Porto – depA, estúdio Diogo Aguiar, Fahr, atelier de fala e Ottotto – para conceber e construir estruturas temporárias para albergar obras de Gabriel Abrantes, Jonathas de Andrade e Cecilia Bengolea. E Jeremy Deller, Priscila Fernandes e Bárbara Wagner e Benjamin de Burca.

O foco do projeto é a criação de dois espaços concêntricos com funções distintas: o espaço intersticial e o espaço central. O pavilhão possui uma pele abstrata, uma fachada contínua em toda a sua superfície curva, construída sobre quatro níveis de tábuas verticais de madeira. Contribuindo para o controle da luz natural no espaço interior, a justaposição de dois planos de fachada, curvos e paralelos, que abrem alternadamente vãos de arco em curva dupla, guia o visitante a percorrer o espaço imersivo da mediação – como um caminho de antecâmara – sem revelar o núcleo central – como espaço fechado -, o local de projeção onde é exibido o filme "Os humores artificiais" (2016) de Gabriel Abrantes.

Vídeo


Direcção e Produção

Building Pictures (http://buildingpictures.pt)


Direção da Foto

Fotos do Edifício

Pós-produção

Building Pictures

Áudio

Ana Pedro – Zumbido Studio

Música

True Nature

2018 | 48 ”| 16: 9

videos RELACIONADOS
PUBLICIDADE

Vulcano

O parceiro certo para um apoio total

MOON

A única placa de comando em cerâmica.